Nove soldados chadianos e 200 combatentes do grupo radical islâmico Boko Haram morreram na terça-feira, na Nigéria, durante confrontos entre o exército chadiano e os rebeldes, anunciou hoje, em N´Djamena, o estado-maior do exército do Chade.

“Nós lamentamos as nove mortes e os 21 feridos. Do lado do inimigo, são mais de 200 mortos, e houve material recuperado ou destruído”, indicou o estado-maior num comunicado.

A nota referiu ainda que “o balanço é provisório, pois a varredura” da zona continua.

“A 3 de fevereiro de 2015 (terça-feira), a posição das nossas forças baseadas na fronteira Camarões-Nigéria foi novamente atacada pelo Boko Haram, por volta da 05h00 (04h00 em Lisboa)”, precisou o texto.

“As nossas forças retaliaram com vigor. A ação imediatamente foi levada até às suas bases (rebeldes) em Gamboru e Ngala, onde foram completamente eliminados”, indicou o comunicado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na terça-feira, a aviação chadiana atacou os extremistas islâmicos em Gamboru. Os combates opuseram os rebeldes e os soldados chadianos, que entraram na cidade nigeriana de Gamboru.

Violentos combates eclodiram novamente na manhã de hoje na zona de fronteira.

O exército nigeriano tem sido muito criticado pela sua ineficácia no combate ao grupo rebelde islâmico, que tem atacado tanto a Nigéria, como o Chade e os Camarões.