O Parlamento da Grécia vai criar uma comissão para exigir o pagamento de reparações de guerra à Alemanha. “Temos a obrigação de pôr em prática os nossos projectos de reclamar uma indemnização pela atrocidade, a devolução do empréstimo de ocupação, a indemnização das vítimas e a devolução de tesouros arqueológicos roubados”, afirmou Zoe Konstantopoulou, presidente do Parlamento grego, num discurso de homenagem às vítimas de Megalópolis.

As forças de ocupação alemãs assassinaram 212 pessoas nesta cidade do Peloponeso no dia 24 de Fevereiro de 1944. “A minha presença aqui, em representação do Parlamento grego, serve para assinalar o sacrifício de todos os que foram massacrados e executados durante a ocupação nazi e é uma fonte de inspiração e compromisso”, disse a mesma responsável.

O ministro adjunto da Defesa, Kostas Isichos, secundou Konstantopoulou sublinhando que as reparações de guerra são “uma prioridade deste Governo” e acrescentou que o Executivo vai pedir uma indemnização para as vítimas “reclamando o empréstimo da ocupação” e a devolução de mais de 10 mil tesouros arqueológicos roubados. O chefe do Governo grego, Alexis Tsipras, na sua primeira declaração como primeiro-ministro, anunciou que iria reclamar a devolução do empréstimo forçado que a Grécia concedeu à Alemanha nazi, no valor de 476 milhões de reichsmarks (moeda utilizada na Alemanha até 1948), que nunca foi reembolsado e que se estima poder valer entre sete mil e 11 mil milhões de euros.

Para o Governo alemão, o tema das reparações de guerra à Grécia ficou fechado em 1990 num tratado com as potências aliadas que tornou possível a reunificação alemã.