A Casa Branca condenou hoje o assassínio “brutal” do líder oposicionista russo Boris Nemtsov, um forte crítico do presidente Vladimir Putin, abatido a tiro na noite de sexta-feira perto do Kremlin, em Moscovo.

“Apelamos ao Governo russo para que conduza uma investigação rápida, imparcial e transparente e garanta que os responsáveis sejam levados à Justiça”, conforme uma mensagem do Conselho de Segurança Nacional da Presidência norte-americana, distribuída através da rede social Twitter.

Boris Nemtsov, foi hoje à noite assassinado a tiro, em pleno centro de Moscovo, anunciou a polícia da capital.

O Presidente russo, Vladimir Putin, já reagiu, considerando o assassínio deste seu crítico “uma provocação”.

O seu porta-voz, Dmitri Peskov, declarou que o assassínio de Nemtsov “tem os sinais de uma morte encomendada e tem tudo de uma provocação” e acrescentou que Putin já ordenou inquéritos a várias entidades, designadamente ao Comité de Investigação, Ministério do Interior e FSB (ex-KGB).

Um ex-primeiro-ministro Mikhail Kasyanov, que é um dos dirigentes da oposição a Putin, disse à imprensa depois de ter visitado o local do assassínio, que “é uma vingança por Boris ter combatido, de forma consistente, anos após anos, para que a Rússia seja um país livre e democrático”.