Lembra-se da história do menino de cinco anos que os pais retiraram de um hospital inglês para voar até Espanha em busca de um tratamento alternativo para o cancro? Pois bem, agora os pais de Ashya King vieram anunciar a cura do menino. A notícia vem no The Sun.

Em setembro, Ashya deu entrada numa clínica em Praga, na República Checa, para se submeter a um tratamento com radiações para ultrapassar o cancro cerebral. Brett e Naghemeh King anunciam agora que “na última consulta médica, Ashya não tinha evidências do tumor”. Agora, o menino está em Espanha com a família, com quem já fala e brinca. “Isto justifica tudo o que fizemos no passado, porque as coisas estão a funcionar para Ashya”, afirmou Brett.

Os pais, testemunhas de Jeová, não estavam de acordo com o tratamento que o hospital de Southampton, em Inglaterra, queria aplicar no filho, que se debatia com meduloblastoma. Em junho retiraram-no do hospital às escondidas e viajaram para Espanha, em busca de novos tratamentos. Acabaram detidos em agosto, por ordem judicial do Reino Unido. Quando saíram da prisão, decidiram rumar com o menino até Praga. E conseguiram o que procuravam: um tratamento alternativo e inovador,  com base em feixes de protões, que no Reino Unido não aplicavam.

Ashya continua agora sob os cuidados do médico argentino Hernán Cortés-Funes, chefe do serviço de Oncologia Médica do Hospital Universitário 12 de outubro, em Madrid e da Unidade de Oncologia do Hospital Internacional HC Marbella.