Rádio Observador

Novo Banco

Oferta do BPI pelo Novo Banco foi adequada e não foi condicionada pela OPA

Fernando Ulrich diz que a indefinição acionista não condicionou a oferta pelo Novo Banco que foi "adequada". O BPI recusou propor um preço "para impressionar" numa proposta não vinculativa.

JOÃO RELVAS/LUSA

O presidente executivo do BPI recusou a tese de que a oferta que apresentou para a compra do Novo Banco, e que foi excluída da corrida, tivesse sido condicionada pela indefinição acionista. Foi o valor que a comissão executiva entendeu que era o correto, “baseado no juízo profissional” e que foi proposto a aceite pelos acionistas do banco. Os dois maiores acionistas estão em conflito quanto à estratégia para o BPI. O CaixaBank lançou uma oferta pública de aquisição, mas a Santoro de Isabel dos Santos prefere negociar uma fusão com o BCP.

A oferta pelo Novo Banco foi a “adequada e correta”, defendeu Fernando Ulrich na apresentação dos resultados do primeiro trimestre. “O que não fizemos foi andar a jogar” com as regras de uma oferta não vinculativa. “Era relativamente fácil apresentar um valor qualquer. Podíamos propor um preço para impressionar”.

Fernando Ulrich lembra que as regras do concurso permitem ao BPI associar-se a outros concorrentes, ainda na fase de negociação do Novo Banco, mas não revela se este cenário está a ser estudado, lembrando o acordo de confidencialidade que ainda vincula os responsáveis do banco.

Não obstante o valor “correto”, que afastou para já o BPI da competição, Fernando Ulrich defende que o melhor para a instituição é que o Novo Banco seja “vendido por muito dinheiro”. Esse cenário seria favorável para o BPI, não só porque reduziria, ou no limite, eliminaria, as perdas que teria de assumir no quadro do Fundo de Resolução, mas porque permitiria valorizar o BPI.

Questionado sobre se está a acontecer uma “revolução” na banca, com o que sucedeu no BES, e está suceder com Novo Banco, Montepio e a oferta do CaixaBank, Fernando Ulrich, apela a que não misturem o BPI com estes bancos, chegando a considerar que a comparação com as outras instituições financeiras “é uma ofensa para o BPI”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: asuspiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)