Uma funcionária do Fisco que está a ser investigada por ter acedido aos dados fiscais do primeiro-ministro diz que o fez a pedido de Pedro Passos Coelho, embora não diga qual foi o pedido exato do primeiro-ministro, noticia o Diário Económico. O gabinete de Passos Coelho diz que não foi pedido qualquer “tratamento de favor”.

De acordo com uma ata da audiência desta funcionária no âmbito de uma auditoria da Autoridade Tributária, que o Diário Económico cita na sua edição de hoje, a funcionária terá acedido aos dados primeiro-ministro devido a um pedido do próprio, devido a uma questão relacionada com o seu IRS.

O acesso terá sido feito em novembro de 2014 e terá sido detetado no âmbito da chamada lista VIP, que controlava o acesso dos funcionários do fisco a alguns contribuintes, todos eles governantes, e entre os quais estava Passos Coelho.

A funcionária do Fisco explicou que o primeiro-ministro lhe ligou porque têm uma “relação de amizade”. Confrontado com estas declarações, o gabinete de Passos Coelho disse apenas que não houve qualquer pedido de tratamento de favor por parte da AT.