Um deslizamento de terra na cidade de Salgar, no oeste da Colômbia, provocou a morte de pelo menos 49 pessoas na madrugada desta segunda-feira. As autoridades do país referiram ainda que 25 aldeões foram feridos e um número desconhecido de pessoas ainda está desaparecido na sequência das chuvas que provocaram um aluimento de terras na zona ribeirinha de La Liboriana.

De acordo com María Inés Cardona, diretora do Sistema de Prevenção, Atenção e Recuperação de Desastres da Região de Antioquía, os deslizamentos “aconteceram antes do amanhecer, quando as águas arrastaram tudo o que encontraram pelo caminho, como casas, pontes e famílias inteiras”, afirmou em entrevista ao jornal colombiano El País.

Segundo Carlos Iván Márquez, diretor da Unidade de Gestão de Risco de Desastres, equipas de salvamento vão continuar a busca por sobreviventes. “Temos 166 pessoas a trabalhar, além da declaração de calamidade pública para as ajudas necessárias. Temos ainda um posto de controlo unificado com as outras autoridades para que possamos trabalhar na estabilização e recuperação das casas”, explicou à publicação. O presidente do país, Juan Manuel Santos, declarou o apoio às vítimas e disse que irá mobilizar o setor privado para que prestem “um grande esforço de solidariedade”.

A Força Aérea e a Polícia Nacional deslocaram três helicópteros para ajudar na busca de corpos presos na lama e no transporte de feridos. Os moradores de aldeias vizinhas estão a ser transferidos para outras cidades com medo de outro deslizamento de terra.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A cidade de Salgar tem 18 mil habitantes e encontra-se no meio de uma das maiores regiões produtoras de café da Colômbia.