O FMI (Fundo Monetário Internacional) disse, na noite de quinta-feira, num comunicado próprio, que foi dado um importante passo em frente, mas mostra preocupações em relação ao futuro da Grécia, especialmente em relação à sustentabilidade da dívida pública, assumindo que a sua participação no novo programa de assistência está dependente de novas medidas conjuntas a serem implementadas, ou seja, coordenada com todos os parceiros europeus.

“No futuro próximo, esperamos trabalhar com as autoridades para desenvolver um programa em maios detalhe e que os parceiros europeus da Grécia tomem decisões sobre o alívio da dívida que vai permitir que a atual dívida se torne sustentável”, lê-se no comunicado. O Fundo Monetário Internacional avança que continuará empenhado em ajudar o Governo grego e os parceiros europeus.

No entanto, só voltará a dar ajuda financeira quando “os passos para o programa e alívio da dívida” forem tomados, o que deverá acontecer três meses depois de o memorando ser assinado entre a troika e o Governo de Alexis Tsipras.