É mal-educado? A maior parte de nós acredita que não. Mas no ambiente de trabalho, sob alguma tensão, é provável que surjam comportamentos menos corretos para com os colegas. Ser forreta, ter hábitos de higiene pessoal duvidosos ou não atribuir crédito ao trabalho alheio são algumas das coisas mais mal-educadas que as pessoas fazem no escritório. Mas o rol não termina por aqui. Confira a lista  das dez coisas que não deve fazer no trabalho, segundo o The Telegraph.

1. Ter hábitos de higiene pessoal duvidosos
A feijoada do jantar pareceu-lhe ótima ideia para o almoço do dia seguinte, mas os seus colegas talvez discordem. Contaminar o espaço comum de refeições com cheiros intensos é má-educação. Tal como manter hábitos de higiene pessoal duvidosos: não tomar banho com a devida frequência, usar perfumes intensos, ou ter mau hálito. Tudo coisas que acrescentam à poluição olfativa do local de trabalho. E sobre cortar as unhas no gabinete e limpar o nariz com o dedo… bom, não é preciso elaborar.

2. Dizer palavrões
Este comportamento foi considerado como um dos mais ofensivos para os colegas, segundo uma pesquisa realizada nos Estados Unidos da América, em 2013, pela empresa Randstad. Em países menos puritanos como o Reino Unido , dizer um ou outro palavrão talvez não seja considerado tão grave assim. Mas atenção. Dizer um palavrão de quando em vez, não é o mesmo que recorrer constantemente a esse tipo de vocabulário. Sobretudo quando se dirige a pessoas que conhece mal e com as quais não tem confiança.

3. Ser forreta
Hoje em dia, todos passamos muito tempo no local de trabalho e na companhia dos colegas. É com eles que tomamos refeições, inúmeros cafés e, por vezes, um copo no final do dia. Evitar pagar é má-educação. Além de revelar o seu caráter forreta, não é algo que gere muitas simpatias.

4. Não largar o smartphone quando fala com outras pessoas
Segundo uma pesquisa realizada pelo site Buzzfeed, 49 por cento das pessoas disseram que viram os chefes a verificar o e-mail enquanto falavam com elas. Isso dá a entender que valoriza mais o que o um e-mail tem para lhe dizer do que a pessoa que está à sua frente. E isso pode ser desmotivador. Da próxima vez, experimente rejeitar uma chamada não urgente enquanto fala com o colega e observe a reacção: seu interlocutor vai ficar contente por perceber que, naquele momento, é a sua prioridade.

5. Gabar-se do salário
Falar de dinheiro com os colegas é sempre um tema a evitar. Se ganhar menos do que eles e se gabar disso, vai parecer pouco esperto e se ganhar mais o provável é que os outros se ressintam disso. Em questões salariais, a melhor abordagem é a timidez.

6. Não atribuir crédito ao trabalho alheio
Muitos de nós já passámos pela experiência de ver uma das nossas ideias defendida por um colega, sem que ele nos atribua crédito pela mesma. Fazer isto é sempre uma má jogada. Se não atribui crédito a quem teve a ideia original, talvez passe a ser odiado e até alvo de vingança. Por outro lado, se creditar a pessoa em questão é provável que ela se sinta, além de reconhecida, grata. E com vontade retribuir numa ocasião posterior.

7. Superioridade
Todas as empresas têm a sua hierarquia, seja ela mais ou menos rígida. Seja qual for o modelo hierárquico do local onde trabalha deve sempre tratar com respeito e cordialidade tantos os superiores como os seus subordinados. Não faça elogios vazios a quem está acima de si, nem trate mal quem lhe presta contas.

8. Comportamento passivo-agressivo
Enviar um e-mail ao colega que senta ao seu lado para evitar dirigir-lhe a palavra, demorar mais tempo do que o razoável para responder às solicitações e esquecer-se de transmitir mensagens. São alguns dos comportamentos passivo-agressivos, nos quais por vezes incorremos, muitas vezes com o objectivo de saldarmos uma ofensa. Perceba a razão pela qual se está a comportar assim e tente resolver o problema com o colega, de preferência, a conversar.

9. Falar por cima das outras pessoas
Falar mais alto do que os colegas, interromper as pessoas e monopolizar o tempo disponível para falar é má-educação. Além de que os diálogos e as reuniões correm o risco de se tornar monólogos desinteressantes. As outras pessoas também querem falar e gostam de ser ouvidas.

10. Respeitar as regras de etiqueta da troca de e-mails
Apesar de ser uma ferramenta de trabalho generalizada, ainda existem pessoas que não percebem como funciona o e-mail. Evite mandar longos e-mails com piadas sem graça ou fazer re-envios em cadeia. Ao mandar um e-mail não espere uma resposta imediata e evite manter conversas em grupos. Ao mandar um e-mail, lembre-se que menos, é mais. Se para dizer o que tem a dizer, tiver que escrever mais de quatro linhas, esqueça o e-mail e pegue no telefone.