Supersondagens do dia. Coligação com vantagem de 4, 5 e 6 pontos

A supersondagem da Universidade Católica dá uma vantagem de 6 pontos percentuais à coligação. Na Intercampus essa vantagem é de 4,3%. Eurosondagem fala em diferença de 5 pontos.

i

LUSA

LUSA

O dia “D” de todas as sondagens eleitorais. A três dias das eleições, as três supersondagens divulgadas esta quinta-feira dão vantagem à coligação Portugal à Frente.

No caso sondagem realizada pela Universidade Católica para a Antena 1, a RTP, o JN e DN dá uma vantagem à coligação Portugal à Frente de 6 pontos percentuais em relação ao PS.

O estudo realizado pela Intercampus para a TVI, TSF e Público coloca a coligação liderada por Pedro Passos Coelho 4,3 pontos percentuais à frente do partido conduzido por António Costa.

Já no caso do estudo realizado pela Eurosondagem para SIC/Expresso, a coligação tem uma vantagem de 5 pontos percentuais em relação ao PS.

A grande novidade destas sondagens é o tamanho da amostra – mais evidente no caso da Universidade Católica. E, sobretudo, a alteração do método – na tracking poll a entrevista era feita por telefone, e nesta sondagem é feita por voto em urna. Daí o nome “supersondagem”.

O que diz a sondagem da RTP?

Começando por pontos. Pedro Passos Coelho e Paulo Portas, depois de distribuídos os indecisos, estão agora com 38% das intenções de voto. António Costa, por sua vez, alcança os 32%. Uma tendência que se tem registado na maioria das sondagens ao longo das últimas semanas.

Talvez por isso o maior destaque vai para o empate entre CDU e Bloco de Esquerda. Jerónimo de Sousa e Catarina Martins estão agora os dois com 9%.

Em relação aos outros partidos, o PDR, o Livre/Tempo de Avançar, o PAN e o PCTP-MRPP conseguem 1%. Todos as restantes forças partidárias estão abaixo dos 1%. O número de indecisos, por sua vez, é de 15% e a percentagem de inquiridos que diz que vai votar nulo ou branco de 5%.

 O que significariam estes números em termos de distribuição de mandatos?

Neste cenário, a coligação PàF poderia eleger um mínimo de 99 deputados e um máximo de 114. Já o PS, seria a segunda força política mais representada na Assembleia, elegendo entre 78 e 95 deputados.

Apesar de empatados nas intenções de voto, a CDU conseguiria eleger entre 15 e 20 deputados, enquanto que o Bloco de Esquerda ficaria pelos 12 a 17 assentos parlamentares.

Destaque ainda para PAN e Livre/Tempo de Avançar. Confirmadas as melhores perspetivas, ambos conseguiriam eleger 1 deputado.

O que diz a sondagem da SIC?

No estudo da Eurosondagem para a SIC/Expresso, a coligação tem 37,7% das intenções de voto contra 32,7 do PS. Uma diferença de 5 pontos percentuais.

Em relação à CDU e ao Bloco, a diferença é de 2,7 pontos a favor dos comunistas. Jerónimo de Sousa consegue 9,4% das intenções de voto e Catarina Martins 6,7%.

O número de indecisos e de pessoas que dizem não saber em que partido votar é, no entanto, elevado: 17,8%.

O que significariam estes números em termos de distribuição de mandatos?

De acordo com esta supersondagem, a coligação PàF conseguiria eleger entre 102 a 108 deputados, a pelo menos oito deputados da maioria absoluta, enquanto o PS conseguiria entre 89 a 95 assentos parlamentares.

Ora, neste caso, colocava-se um cenário que muito tem sido discutido nos últimos dias: o PS poderia ter mais deputados do que o PSD isolado e, por isso, abrir-se a polémica sobre a hipótese de o partido liderado por António Costa reclamar para si o direito de formar Governo – uma ideia defendida por alguns constitucionalistas da área do PS.

Já a CDU, obtém entre 19 a 21 deputados, ao passo que o Bloco de Esquerda consegue entre 10 a 15 mandatos. Em relação aos outros partidos, de acordo com esta sondagem, nenhum conseguiria eleger mais do que 1 deputado.

O que diz a sondagem da TVI?

No estudo da Intercampus para a TVI, TSF e Público, a coligação tem uma vantagem de 4,3 pontos sobre os socialistas, 37,2% contra 32,9%.

Segundo os números, já com a distribuição de indecisos (12,6%), a CDU teria 8,8% das intenções de voto e o Bloco 7,9%. O estudo da Intercampus não faz distribuição de mandatos.

Na quarta-feira, a sondagem da Marktest dava uma vantagem à coligação de 12,4 pontos percentuais em relação ao PS. Pedro Passos Coelho e Paulo Portas estão agora com 41% nas intenções de voto contra 28,6% de António Costa. Quanto à CDU, consegue 9,3% dos votos e o Bloco de Esquerda chega aos 8,7%.

A sondagem da Universidade Católica para para a Antena 1, a RTP, o JN e DN foi feita com uma amostra de 3.302 inquiridos, uma taxa de resposta de 67% e uma margem de erro de 3,4%. A sondagem da Intercampus para TVI, TSF e Público tem uma amostra de 1013 pessoas e uma margem de erro de 3,1%. O Estudo da Eurosondagem para SIC/Expresso teve uma amostra de 2.067 entrevistas válidas e uma margem de erro de 2,16%.

Artigo atualizado com correção da margem de erro da sondagem da Universidade Católica e com a distribuição de mandatos na Assembleia da República

Recomendamos

Populares

Últimas

A página está a demorar muito tempo.