Os países que sofreram uma intervenção na sua economia, como Portugal, Irlanda e Espanha, são atualmente os líderes na venda de carros na Europa, com crescimentos acima dos 20%, referem os dados divulgados hoje pela ACEA.

As estatísticas da Associação de Fabricantes Europeus de Automóveis (ACEA) indicam que, mesmo na Grécia, que está a implementar o terceiro resgate, o mercado automóvel está a crescer 5,5% nos primeiros dez meses do ano relativamente ao mesmo período de 2014.

Portugal é o segundo país europeu onde existe um maior aumento percentual de vendas, registando um crescimento de 27,5% com cerca de 152 mil carros vendidos até outubro, quando no mesmo período do ano passado era de 119 mil unidades.

Já a Irlanda é o país da União Europeia que lidera o ‘ranking’ do crescimento com um aumento percentual de 29,9%, passando dos 95 mil veículos nos primeiros dez meses de 2014 para os cerca de 124 mil carros em 2015.

A Espanha, que pertence ao chamado ‘big five’ (os cinco maiores países europeus em termos de vendas), está com um crescimento de 20,5%, registando 864 mil vendas entre janeiro e outubro, quando no mesmo período no ano passado estava com 717 mil carros.

Entre os ‘big five’, a Itália está também com um desempenho de dois dígitos (+14,7%), enquanto a Alemanha (+5,1%), Reino Unido (+6,4%) e França (+5,7%) apresentam crescimentos mais moderados e que se prevê que abrandem nestes dois últimos meses do ano devido ao escândalo do grupo Volkswagen.

Aliás, o mercado automóvel da União Europeia desacelerou, passando de um crescimento de 8,2% em setembro para apenas 2,9% em outubro, graças ao contributo do escândalo das emissões manipuladas pelo grupo Volkswagen.

As estatísticas da ACEA revelam que o grupo Volkswagen, que engloba, entre outras marcas, Volkswagen, Seat, Audi, Skoda e Porsche, viu as vendas caírem 12,4% na União Europeia, passando dos 316 mil carros em setembro, mês em que rebentou o escândalo, para as 278 mil unidades em outubro.