Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A polícia espanhola desmantelou uma célula terrorista que operava em Espanha e mantinha ligações próximas com o Estado Islâmico. Foram presas sete pessoas em Valencia, Alicante e Ceuta e acredita-se que estes terroristas tenham enviado armas, explosivos, dinheiro e tenham até angariado mulheres para se casarem com jihadistas na Síria e noutros pontos do Médio Oriente.

Esta organização fazia-se passar por uma organização não-governamental, segundo as autoridades espanholas, e usava os portos espanhóis para enviar carregamentos para a Síria e outros países, alimentando assim vários grupos terroristas, incluindo o Estado Islâmico. Esta célula já estava a ser investigada pelas autoridades espanholas desde 2014 e este fim de semana as forças de segurança fizeram 12 rusgas ao mesmo tempo em diferentes casas e armazéns. Todas as pessoas que foram presos tinham origem marroquina, síria e jordana, mas cinco tinham conseguido a nacionalidade espanhola.

Para além do envio de armas, explosivos e dinheiro, o Estado Islâmico pediria a esta organização mulheres para os seus guerrilheiros na Síria. Caberia assim a esta célula contactar várias jovens na Europa, radicaliza-las e envia-las para a Síria. Para além de terrorismo, os detidos estão ainda acusados de branqueamento de capitais, compra de armas e explosivos no mercado negro, angariação ilícita de dinheiro e crimes informáticos. Esta investigação ainda está em aberto e esta rede terá ligações a outras células na Europa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR