455kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Conselho de Estado: 1.447 anos de conselhos à mesa de Marcelo

Este artigo tem mais de 5 anos

Vão ser 20 os conselheiros de Marcelo, agora que se prepara para assumir o cargo de Presidente da República. Três são nonagenários e apenas um tem menos de 50 anos. A média? 69 anos.

Marcelo, na pele de Presidente, vai ter 20 conselheiros. Costa, como primeiro-ministro, será um deles
i

Marcelo, na pele de Presidente, vai ter 20 conselheiros. Costa, como primeiro-ministro, será um deles

Filipe Amorim

Marcelo, na pele de Presidente, vai ter 20 conselheiros. Costa, como primeiro-ministro, será um deles

Filipe Amorim

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

São 20 e juntos têm 1.447 anos de idade. O mais novo soprou 42 velas, o mais velho chegou às 93 – e não é o único nonagenário. O novo Conselho de Estado, agora com dedo de Marcelo Rebelo de Sousa, já está fechado e, feitas as contas, tem uma média de idades de 69 anos. “Curioso número”, como diria Mota Amaral, também ele um ex-membro do Conselho de Estado, ora na pele de presidente do Governo Regional dos Açores, ora na pele de Presidente da Assembleia da República.

E é precisamente o atual presidente do Governo Regional dos Açores o mais novo dos conselheiros de Estado de Marcelo Rebelo de Sousa. Com 42 anos, Vasco Cordeiro, eleito em 2012, é mesmo o único na casa dos 40 a sentar-se à mesa do principal órgão de consulta do Presidente da República.

Adriano Moreira, fundador e ex-líder do CDS, lidera a outra lista. Com 93 anos – mais dois do que Mário Soares -, o centrista é o mais velho dos futuros conselheiros de Marcelo Rebelo de Sousa. Curiosamente, Adriano Moreira não é o único centrista a fazer parte do Conselho de Estado: o Presidente da República eleito decidiu reservar uma cadeira para António Lobo Xavier, advogado e ex-dirigente centrista – chegou, inclusive, a correr à liderança do partido, tendo sido derrotado por Manuel Monteiro.

Voltando aos nonagenários – sim, são três. Além de Adriano Moreira e Mário Soares – na qualidade de ex-Presidente da República -, também Eduardo Lourenço já passou a barreira dos 90. Com 92 anos, o ensaísta estreia-se na função de conselheiro de Estado por nomeação direta de Marcelo Rebelo de Sousa. Uma estreia nestas funções.

Quem vai passar para o outro lado é Aníbal Cavaco Silva. Depois de dez anos como Presidente da República, o ex-líder social-democrata vai ter direito a sentar-se à mesa com o sucessor e com os três antecessores – Jorge Sampaio, Mário Soares e Ramalho Eanes.

Por falar em Cavaco Silva, da era do ainda Presidente da República mantêm-se Luís Marques Mendes – desta vez nomeado por Marcelo Rebelo de Sousa (antes tinha sido indicado pelo PSD) – e Leonor Beleza, então escolhida por Cavaco para o Conselho de Estado. São os únicos repetentes sem ser por inerência no Conselho de Estado.

António Guterres volta ao Conselho de Estado, mas com outro fato. Durante os seis anos em que foi primeiro-ministro, o socialista tinha direito a sentar-se àquela mesa com o Presidente da República. Agora, foi Marcelo Rebelo de Sousa que o fez questão de chamar enquanto personalidade que merece ser ouvida em questões do maior interesse nacional. E nem por estar a braços com uma candidatura a secretário-geral da ONU, António Guterres deixou de aceitar o convite do amigo.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.