O governo de Cabo Verde confirmou nesta segunda-feira a existência de uma segunda vítima mortal entre a comunidade cabo-verdiana de Nice, sul da França, onde na quinta-feira um atentado causou 84 mortos e mais de duas centenas de feridos. Em declarações ao jornal Expresso das Ilhas, o ministro dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde, Luís Filipe Tavares, confirmou que o adolescente que tinha sido dado como desaparecido na quinta-feira na sequência do ataque foi identificado hoje como uma das vítimas mortais.

O rapaz, de 13 anos, era irmão da jovem de origem cabo-verdiana de 25 anos, cuja morte tinha sido confirmada logo a seguir ao ataque. A jovem de 25 anos, que nasceu em França, encontrava-se na companhia dos pais, irmão e primos. Os pais foram hospitalizados na sequência de ferimentos sofridos durante o ataque.

As autoridades cabo-verdianas condenaram o atentado e tanto Governo como Presidência da República enviaram mensagens de solidariedade e condolências às autoridades francesas.

Na quinta-feira à noite, um camião avançou durante dois quilómetros sobre uma multidão na Promenade des Anglais (Passeio dos Ingleses), em Nice, que estava a assistir ao fogo-de-artifício para celebrar o dia de França. O último balanço das autoridades francesas aponta para 84 mortos e 202 feridos. Pelo menos um cidadão português ficou ferido no ataque, confirmou o Governo. O condutor do camião foi abatido pela polícia.

As autoridades francesas consideraram estar-se perante um atentado e o Presidente da França, François Hollande, anunciou o prolongamento por mais três meses do estado de emergência que vigora no país desde o ano passado. O grupo extremista Estado Islâmico reclamou a autoria do atentado.