O ex-chefe do governo da Escócia e antigo líder do Partido Nacionalista Escocês, Alex Salmond, afirmou hoje ser provável que em 2018 haja um novo referendo sobre a independência da Escócia.

Num artigo publicado hoje no diário escocês The National, Salmond argumenta que o ‘brexit’ foi a “faísca” que voltou a colocar sobre a mesa a questão de uma votação sobre a separação do Reino Unido.

Em 2014, 55,3% dos votantes optou pelo ‘não’ à independência da Escócia num referendo que Salmond qualificou na altura como uma ocasião “única numa geração”.

“Naquela votação, o que começou como uma iniciativa do governo escocês transformou-se numa campanha popular. Nunca devemos esquecer essa inspiração”, escreveu Salmond.

“Se tivesse que prever uma data, então diria que é provável que (um segundo referendo) seja no outono de 2018. Mesmo no prazo de dois anos, há muito que fazer”, acrescentou o político nacionalista.

A chefe do governo escocês e atual líder do Partido Nacionalista Escocês, Nicola Sturgeon, disse nos últimos três meses que a vitória do ‘brexit’ (saída do Reino Unido da União Europeia) no referendo de 23 de junho iria proporcionar uma nova vontade de perguntar aos escoceses se querem a independência do resto do Reino Unido.

Na Escócia, 62% dos votantes optaram pela permanência do Reino Unido na União Europeia.