Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Nikki Haley, governadora do estado da Carolina do Sul desde 2011, poderá vir a tornar-se na primeira mulher a integrar o governo de Donald Trump, presidente eleito dos Estados Unidos da América. Segundo a Associated Press, que cita duas fontes próximas da decisão, a governadora terá sido escolhida para ocupar o cargo de embaixadora dos Estados Unidos na ONU. Haley integrará o gabinete do Presidente, o que nem sempre aconteceu com os embaixadores anteriores.

Segundo a CNN, o anúncio oficial deverá acontecer ainda esta quarta-feira. Caso se confirme, Nikki Haley será a primeira mulher e a primeira imigrante a integrar a nova administração norte-americana. Haley, de 44 anos, é filha de pais indianos. Foi também a primeira mulher a chegar a governadora do estado da Carolina do Sul, de onde é natural.

As relações entre Nikki Haley e Donald Trump nem sempre um mar de rosas. Durante a campanha eleitoral, a governadora deu o seu apoio ao republicano Marco Rubio e, depois da desistência deste, a Ted Cruz. Crítica das políticas de Trump, Haley foi acusada por este de manter uma posição fraca em relação à imigração depois de, em janeiro deste ano, ter vetado uma medida que pretendia impedir a entrada de imigrantes legais no estado da Carolina do Sul.

Antes das primárias da Carolina do Sul, onde Trump venceu definitivamente os outros candidatos republicanos à Casa Branca, Haley descreveu-o como “tudo o que um governadora não quer num presidente”. Apesar disso, acabou por admitir mais tarde que iria votar nele, apesar de “não ser uma fã”.

Nikki Haley, que já tinha sido apontada como possível candidata ao cargo de secretária de Estado, reuniu-se com Donald Trump e a sua equipa de transição na semana passada, na Trump Tower, em Nova Iorque. À saída, a governadora admitiu que a conversa tinha sido “agradável”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR