Dívidas

Portugal leiloa esta quarta-feira até 1,5 mil milhões de dívida de curto prazo a 6 e 12 meses

Portugal vai fazer dois leilões, esta quarta-feira, para colocar entre 1.250 e 1.500 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro a seis e 12 meses.

A última emissão de Bilhetes do Tesouro a seis meses aconteceu em novembro do ano passado, altura em que foram colocados no mercado 250 milhões de euros a uma taxa de juro média de -0,027%

Ant

Autor
  • Agência Lusa

Portugal realiza, esta quarta-feira, dois leilões para colocar entre 1.250 e 1.500 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro a seis e 12 meses, foi anunciado. Em comunicado emitido na sexta-feira, o IGCP – Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública informou que os Bilhetes do Tesouro têm maturidades em 21 de julho de 2017 e em 19 de janeiro de 2019.

A última emissão de Bilhetes do Tesouro a seis meses aconteceu em novembro do ano passado, altura em que foram colocados no mercado 250 milhões de euros a uma taxa de juro média de -0,027%. Na mesma altura ocorreu também o mais recente leilão de Bilhetes do Tesouro a 12 meses, tendo sido emitidos 1.250 milhões de euros, a uma taxa de juro de 0,005%.

De acordo com o programa de financiamento do Estado para 2017, a agência que gere a dívida pública portuguesa espera que o financiamento líquido resultante da emissão de Bilhetes do Tesouro vai resultar “num impacto nulo” e adianta que “será mantida a estratégia de emissão ao longo de toda a curva, combinando prazos curtos com prazos longos”.

Ao longo de 2017, o IGCP pretende também emitir entre 14 a 16 mil milhões de euros em Obrigações do Tesouro, através de emissões mensais. Em termos líquidos, a República portuguesa precisa de um financiamento de 12,5 mil milhões de euros para este ano, num valor que inclui 2,7 mil milhões euros de fundos associados à recapitalização da CGD, que já se encontram financiados.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eutanásia

Porque vou votar contra a eutanásia /premium

Inês Domingos

Vou votar contra porque acredito que a dignidade humana não se esgota com as nossas capacidades ou com o nosso estado de saúde. Para mim, a dignidade do ser humano persiste até ao último sopro. 

Congresso do PS

A caminho do bloco central? /premium

João Marques de Almeida

Costa quer lavar a imagem do PS perante o eleitorado e Rio é o melhor aliado para o fazer. Já Rio precisa de poder para se manter na liderança do PSD após 2019 e, como PM, Costa pode ajudar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)