O governador de Rio Grande do Norte, Robinson Faria, anunciou esta quita-feira que pediu o “envio imediato” de efetivos militares para conter os motins e revoltas nas ruas e prisões daquele Estado brasileiro. Isto no mesmo dia em que as autoridades dão conta de novos motins e de confrontos entre os reclusos e os funcionários da penitenciária de Alcaçuz.

“Eu perguntei (…) ao Presidente Michel Temer se ele permite o embarque imediato, hoje, das forças armadas do exército e da marinha para patrulhar as ruas de Natal [capital do Rio Grande do Norte]”, disse o governador em entrevista à rádio CBN. Na quarta-feira dez autocarros foram incendiados em Natal, a poucos quilómetros de onde se regista desde domingo uma série de motins na Penitenciária de Alcaçuz.

As autoridades estaduais investigam se os veículos queimados têm relação com o motim ou são uma resposta à transferência dos presos da Penitenciária Estatal de Alcaçuz, em Nisia Floresta, cidade da região metropolitana de Natal. Além deste incidente fora das prisões, a Penitenciária de Alcaçuz continua com problemas.