Presidente Trump

Advogado pede a Trump que pare com o processo contra Edward Snowden

O advogado do antigo analista da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos Edward Snowden pediu ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que suspenda o processo judicial contra o seu cliente.

PANTELIS SAITAS/EPA

O advogado do antigo analista da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA) Edward Snowden pediu esta terça-feira ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que suspenda o processo judicial contra o seu cliente.

Temos uma grande esperança de que o novo presidente dos Estados Unidos lide com esta questão de forma sensata e tome a única decisão correta: parar o processo contra Snowden, um homem que ama e sente a falta dos Estados Unidos”, afirmou o advogado Anatoli Kucherena aos meios de comunicação russos.

Kucherena, representante legal de Snowden desde que lhe foi concedido asilo na Rússia em 2013, assegurou que – caso parasse o processo contra o seu cliente – Trump “aumentaria ainda mais a sua autoridade”, uma vez que, com Barack Obama, o seu antecessor, “o caso esteve sempre no plano político”. O advogado também aproveitou para desmentir que a Rússia tenha recebido – desde que Trump chegou à Casa Branca – alguma petição de extradição de Snowden por parte da justiça norte-americana, que quer julgar o antigo analista por este ter posto em perigo a segurança nacional ao roubar e divulgar informação secreta.

Recentemente, o antigo subdiretor da CIA Michael Morell afirmou que o presidente russo, Vladimir Putin, poderia dar como “presente de investidura” a Trump a extradição de Edward Snowden. Morell dizia que a entrega de Snowden permitiria a Putin assegurar as boas relações pessoais com Trump, ao mesmo tempo que melhoraria a imagem da Rússia no mundo.

Kucherena salienta que, com as suas denúncias, Snowden contribuiu para a vitória de Trump nas eleições presidenciais, ao denunciar que “o Governo norte-americano viola gravemente os direitos humanos e está implicado em atividades ilegais”. A denúncia de Snowden “tirou pontos aos democratas”, disse o advogado, nomeadamente aquelas em que dava conta que os serviços secretos espiavam não só os seus próprios cidadãos como também mandatários estrangeiros, mesmo os aliados.

Em meados de janeiro, a Rússia prorrogou por três anos a autorização de residência de Snowden, pelo que a partir de 2020 poderia ter direito a solicitar a cidadania russa, explicou Kucherena.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)