Freddie Mercury perdeu grande parte de um dos pés na luta contra a sida. A revelação foi feita pelo guitarrista dos Queen, Brian May, numa entrevista dada ao Sunday Times.

O guitarrista de 69 anos disse que estava “certo” de que Freddie Mercury ainda estaria vivo se a terapia de medicamentos retrovirais combinados tivesse sido aplicada “uns meses” mais cedo. O vocalista tinha apenas 45 anos morreu de broncopneumonia, como efeito da sida, em 1991.

O problema era mesmo com o pé dele, e tragicamente pouco restava dele. Uma vez, ele mostrou-nos o pé ao jantar e disse “Oh, Brian, desculpa ter-te incomodado ao mostrar-te isso” e eu disse “Não estou incomodado com isso, Freddie. Estou incomodado que tenhas que lidar com esta dor terrível.”

O guitarrista explica que Mercury não gostava de discutir o seu estado de saúde com os outros membros da banda – mas que todos eles estavam cientes da gravidade da doença.

Mercury morreu na noite de 24 de novembro de 1991, 24h depois de confirmar pela primeira vez que era seropositivo. Pela ocasião do 26.º aniversário da sua morte, os Queen vão lançar um livro. “Queen Em 3D” contém uma série de fotografias da banda, desde a sua formação nos anos 70 até aos dias de hoje.