O cidadão russo Aleksei Viktorovich Makeev, de 43 anos, encontra-se internado no Hospital Geral de Cancún, no México, depois de ter sido atacado por um grupo de populares mexicanos em reação a comentários racistas nas redes sociais. Makeev está a ser tratado para um traumatismo cranianos e lesões graves nos braços e nas costas, tudo isto provocado pela multidão que o tentou linchar na noite de sexta-feira.

Makeev é acusado de insultar e ofender repetidamente com discursos racistas os habitantes do destino turístico de Cancún com vídeos publicados no seu canal do YouTube. O seu prognóstico é grave, mas estável, segundo as autoridades. Mal esteja recuperado, Makeev vai ser deportado para a Rússia pelas suas ofensas aos mexicanos, informou o Instituto Nacional de Migrações.

“Os terroristas estão a ameaçar-me de morte”, escreveu o cidadão russo na sua página do Facebook na sexta-feira, antes dos ataques. Horas depois, já de noite, meia centena de populares começou a reunir-se à volta do seu apartamento (a habitação era um dos cenários dos seus vídeos e, por isso, facilmente identificável). Nos seus vídeos, era comum vê-lo com uma suástica pintada na testa e na parede atrás de si.

Makeev, que trabalhava como instrutor num parque aquático, filmava-se muitas vezes a caminhar pelas ruas de Cancún a insultar quem lhe passava à frente em russo e em inglês. “Os mexicanos cheiram mal, vamos pendurá-los em breve”, chegou a dizer. “Fucking animal”, gritou a um segurança de um centro comercial. “Os mexicanos só sabem reproduzir-se. São macacos que só querem sexo”, afirmou para crianças que comiam num restaurante McDonald’s. Foram estes comentários, registados em vídeo, que enfureceram os utilizadores do YouTube, onde as denúncias dos utilizadores não serviram de nada.

Num vídeo, Makeev chegou a confessar ter abusado sexualmente de uma mulher.

A polícia foi rápida a intervir contra o ajuntamento de populares, mas deixou a situação andar até que Makeev recebeu os protestante com uma faca – tendo mesmo morto um dos manifestantes. Foi neste momento que os ânimos se exaltaram ainda mais. Makeev ainda fugiu para um telhado, onde lhe conseguiram acertar com pedras e bocados de portadas das janelas.

Apenas a polícia conseguiu salvar a vida de Makeev e evitou que o linchamento provocasse uma segunda morte. Pouco depois, Makeev seria transportado para o hospital em estado grave. Foi o embaixador russo no México, Dmitri Bolbot, quem falou à comunicação social a dar conta do estado de saúde do cidadão russo.

Mal se recupere do estado físico, Makeev será deportado para a Rússia e lá será acusado formalmente dos crimes que cometeu. Desde sexta-feira, mais de 6.500 pessoas assinaram a petição a pedir ao deputado Eduardo Martínez Arcila para que acelere o processo de deportação por “manifestações de ódio aos mexicanos”.