Supercarros

Venom F5. Hennessey destrona Koenigsegg e Bugatti

A Hennessey deu a conhecer o novo e escaldante Venom F5, com 1.600 cv e prestações que superam o Chiron ou o Agera RS. Só serão produzidas 24 unidades, com um preço de quase 1,4 milhões de euros cada.

Autor
  • Francisco António

Pequeno fabricante norte-americano, a Hennessey acaba de dar a conhecer, no SEMA de Las Vegas, o seu novo e mais escaldante superdesportivo, o Venom F5. Proposta que, com uma produção reduzida a 24 unidades, faz da velocidade a sua maior arma, superando inclusivamente o anterior Venom GT – até mesmo no preço, que ronda os 1,37 milhões de euros.

Ao contrário do GT, que utiliza um chassi Lotus, o Venom F5 tem por base uma nova solução tubular em fibra de carbono, o mesmo material utilizado no fabrico da carroçaria. A qual, fruto do novo design, é não só mais elegante, como exibe um melhor coeficiente de aerodinâmica que o antecessor – 0.33 Cx. Melhor, aliás, não só que o do Venom GT (0.44), como também que o do Bugatti Chiron (0.38).

Quanto ao motor, é o próprio John Hennessey, dono da marca, quem justifica a opção:

Sou um purista. Gosto de coisas simples, da funcionalidade elegante, ainda que isto não deva ser entendido como um ataque às soluções híbridas. Mas esse tipo de soluções é mais apropriado para os grandes fabricantes.”

Assim, sentenciado fica desde já que a propulsão estará a cargo de um V8 7,4 litros biturbo em alumínio, capaz de gerar uma avassaladora potência de 1.600 cv e 1.762 Nm de binário, tudo isto enviado apenas para as rodas traseiras, equipadas com borrachas Michelin Pilot Cup 2, através de uma caixa automática com apenas um disco de embraiagem e sete velocidades, com patilhas no volante. No entanto e para quem o deseje, o fabricante também disponibiliza uma caixa manual, embora garanta desde já que o “piloto de ocasião” vai andar a lutar contra o sistema de tracção por GPS até, pelo menos, aos 225 km/h!

Quando equipado com um especial modo de condução Vmax, o F5 consegue baixar a asa traseira e selar as entradas de ar logo abaixo do spoiler, para melhorar ainda mais a eficiência aerodinâmica. Solução que lhe permite acelerar dos 0 aos 300 km/h em 10 segundos, com o ponteiro do velocímetro a atingir os 400 km/h em tão-só 20 segundos, ao mesmo tempo que a velocidade máxima (anunciada) surge fixada nos 484 km/h. Em suma, números que conseguem superar as prestações anunciadas por propostas como o Koenigsegg Agera RS, ou o Bugatti Chiron.

O habitáculo surge revestido a pele, fibra de carbono e Alcantara, com a cereja no topo do bolo a vir de uma interface materializada num iPad. A Hennessey garante ainda que espaço também não falta, sendo mesmo capaz de acomodar um ocupante tipo jogador de futebol americano. Ou seja, dos grandes!

Caso esteja a pensar comprar uma destas jóias, saiba que, só para ser considerado um potencial comprador, terá de apresentar primeiro uma candidatura, que terá de ser aprovada pelo próprio John Hennessey, antes de – então, sim – poder começar a sonhar com um F5 na sua garagem.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

Cogitações sobre a remodelação /premium

Maria João Marques

Costa promoveu pessoas com pouquíssima experiência profissional fora da vida política. É dos piores indicadores para qualquer político. Viver sempre na bolha dos partidos é péssimo cartão de visita.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)