O secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, diz que o elevado número de faltas ao trabalho no Serviço Nacional de Saúde (SNS) é uma “vergonha” e desconfia de que muitas das baixas por doença ou por gravidez de risco apresentadas não correspondam à realidade.

Em declarações numa conferência esta terça-feira no Porto, citadas pelo Jornal de Notícias, Manuel Delgado afirmou que “o SNS é o serviço público que tem mais ausências ao trabalho”, algo que classificou como “uma vergonha a nível nacional e internacional”.

As baixas por gravidez de risco mereceram especial crítica por parte do governante. “Precisamos de uma sindicância com o apoio da Ordem dos Médicos para avaliar estas situações que representam um ano e meio sem trabalhar”, destacou Manuel Delgado.

Este ano já se registaram 2,97 milhões de dias de faltas ao trabalho no setor da saúde. A baixa por doença foi o motivo da maioria das faltas — 1,7 milhões de dias. Segue-se a parentalidade, responsável por 1,2 milhões de dias de falta.

Manuel Delgado admite, em declarações ao Jornal de Notícias, que “as baixas médicas têm, muitas vezes, a ver com a insatisfação dos profissionais”. Contudo, o governante defende que o atual Executivo pretende reverter esta realidade com o aumento dos salários e melhoria das condições de trabalho dos funcionários da saúde.