Um antigo procurador federal americano afirmou esta sexta-feira que a resposta das autoridades a um protesto nacionalista a 12 de agosto, em Charlottesville, no estado norte-americano da Virgínia, que desencadeou atos de violência, teve uma série de falhas. As conclusões da investigação de vários meses de Tim Heaphy foram reveladas mostrando que houve uma falta de preparação e uma fraca coordenação entre a polícia da cidade e a polícia estadual.

Entre outros aspetos, Heaphy concluiu que as duas forças policiais não foram capazes de comunicar via rádio a 12 de agosto. Nesse dia, um carro abalroou um grupo de pessoas em Charlottesville, nos Estados Unidos, onde foram registados violentos confrontos durante uma marcha supremacista branca, provocando pelo menos um morto e vários feridos.

Este incidente ocorreu cerca de duas horas após os confrontos violentos que envolveram apoiantes de um protesto nacionalista, organizado no centro daquela cidade do Estado da Virgínia, e pessoas que contestavam essa mesma manifestação.