O governador do Banco Central da Letónia, Ilmars Rimsevices, foi detido este sábado à noite pelo Gabinete de Prevenção e Combate à Corrupção, segundo agências de notícias internacionais, uma informação confirmada pelo Governo.

Após um interrogatório no sábado que durou cerca de sete horas nos escritórios do Gabinete de Combate à Corrupção em Riga, Rimsevices foi levado durante a noite para outro local, conforme constatou uma jornalista da agência de notícias BNS.

O Gabinete de Prevenção e Combate à Corrupção (KNAB) escusou-se para já a comentar a detenção do governador. Contudo, a detenção foi confirmada pelo primeiro-ministro da Letónia, Maris Kucinskis. Também o Banco Central Europeu, onde Rimsevicis faz parte do conselho de governadores, recusou comentar.

“Por enquanto, nem eu [como primeiro-ministro] nem qualquer outro funcionário temos algum motivo para interferir no trabalho do KNAB”, disse o chefe de governo, citado pela agência de notícias BNS.

Na sequência da detenção de Ilmars Rimsevices, a ministra das Finanças da Letónia, Dana Reizniece-Ozola pediu ao governador que suspendesse as suas funções enquanto é alvo de investigação. “A situação vai piorar a cada dia que o senhor Rimsevics continuar na liderança do banco central”, disse a ministra numa conferência de imprensa, citada pela Bloomberg. “Acredito que neste momento seria sensato se o senhor Rimsevics ao menos durante a investigação se afastasse do cargo.”