Liga dos Campeões

Afinal, foi falta ou não? O que se diz sobre o penálti no Real Madrid-Juventus

181

Os jornais reagiram de forma diferente ao penálti marcado a favor do Real Madrid. Em Itália fala-se em "roubo" e em França da "estrelinha da sorte". Por cá, o destaque é Ronaldo.

Corria o minuto 93 no Estádio Santiago Bernabéu e a Juventus ganhava por 3-0, anulando a desvantagem trazida da primeira mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões.  O prolongamento estava já ao virar da esquina quando o árbitro inglês Michael Oliver apontou para a marca de grande penalidade depois de considerar que Benatia tinha derrubado Lucas Vásquez.

O lance originou muitos protestos por parte dos jogadores da Juventus. Buffon era dos mais exaltados e foi expulso. Mesmo após o final do jogo, em declarações aos jornalistas, o guarda-redes manteve o tom de revolta: “se um árbitro não tiver a personalidade certa, deve ficar na bancada a comer batatas com sua esposa”.

Mas como é que reagiram os jornais na manhã desta quinta-feira? Em Espanha, a opinião não é unânime. Desde “Foi penálti” a “Roubo do século” as opiniões não podiam ser mais diferentes. No fundo, é já a habitual diferença entre a imprensa de Madrid e de Barcelona. Por Itália pode ler-se que foi um “roubo” e que a Juventus está “furiosa”. Por cá, o (pouco) destaque vai para Cristiano Ronaldo.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)