O Presidente francês, Emmanuel Macron, propôs esta quarta-feira agir como mediador entre o Dalai Lama e a China para solucionar a crise do Tibete.

“Se a França puder ser útil para resolver a situação entre o Dalai Lama e o seu povo e a China, eu farei o meu melhor”, afirmou Macron, durante uma conversa com estudantes na Universidade George Washington, na capital federal norte-americana.

“Pressinto os primeiros sinais de que o Presidente [chinês] quer agir, espero”, prosseguiu.

O chefe de Estado francês afastou, contudo, a ideia de um encontro em França com o líder espiritual dos tibetanos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Se me reunir com ele, isso criará uma crise com a China”, observou, embora recordando que se encontrou com o Dalai Lama durante a campanha eleitoral em França.

Recebê-lo em Paris “sem condições prévias, só para enviar um sinal, penso que seria inútil e contraproducente”, sustentou.