Ronny Jackson, o médico da Casa Branca que foi promovido por Donald Trump a secretário do Departamento dos Assuntos dos Veteranos em março, desistiu da nomeação. O contra-almirante da Marinha norte-americana emitiu um comunicado esta quinta-feira onde anuncia o afastamento e comenta as várias alegações que foram feitas sobre a sua conduta profissional depois de ser apontado pelo presidente norte-americano.

O golpe final chegou esta quarta-feira com a divulgação de um documento de duas páginas escrito pelos funcionários do Comité dos Assuntos dos Veteranos no Senado afetos ao Partido Democrata: o texto inclui os testemunhos de quase duas dúzias de atuais e antigos colegas de Ronny Jackson. De acordo com o texto resumo partilhado pelo comité – a versão integral está sob investigação -, o médico era “abusivo” para com os colegas, distribuía livremente receitas para analgésicos e estava “periodicamente intoxicado”, tendo até destruído um veículo oficial ao conduzir sob o efeito de bebidas alcoólicas.

Os membros do Comité dos Assuntos Veteranos – tanto republicanos como democratas – já tinham levantado dúvidas sobre a conduta profissional do médico da Casa Branca e tinham começado a rever as alegações num esforço para determinar se eram suficientes para adiar a nomeação. Ronny Jackson era esperado no Capitólio esta quarta-feira, para uma audiência de confirmação da nomeação: a audiência foi adiada indefinidamente até que os membros do comité terminassem de rever as acusações feitas ao médico.

No comunicado em que anuncia a desistência, Ronny Jackson refere que todas as acusações são “completamente falsas e fabricadas”. “Se tivessem algum mérito, eu não teria sido selecionado, promovido e confiado para o papel tão importante e sensível de médico de três presidentes nos últimos 12 anos”, escreveu o contra-almirante, citado pela CNN.

Infelizmente, devido ao funcionamento de Washington, estas falsas alegações tornaram-se uma distração para este Presidente e para o assunto importante de que deveríamos estar a falar – como dar os melhores cuidados aos heróis da nossa nação. Ainda que esteja para sempre grato pela confiança que o Presidente Trump depositou em mim ao dar-me esta oportunidade, apresento a minha desistência da nomeação para Secretário do Departamento dos Assuntos dos Veteranos”, afirmou Ronny Jackson, que foi o médico oficial da Casa Branca durante as administrações Bush, Obama e Trump.

A nomeação de Ronny Jackson tornou-se pública no final do passado mês de março, quando Donald Trump anunciou no Twitter que ia demitir o então secretário dos Assuntos dos Veteranos David Shulkin para o substituir pelo médico pessoal.