Condução Autónoma

Testes com veículos autónomos em Lisboa arrancam em Outubro

102

Madrid arrancou em Março com testes a veículos autónomos, e Portugal segue pelo mesmo caminho. Começam a circular já em Outubro, em contexto citadino, na capital, e em auto-estrada, num troço da CREL.

Depois de Madrid, vão chegar a Lisboa os primeiros Mitsubishi i-Miev preparados para testar a condução autónoma em contexto real

Madrid tem em circulação, desde Março passado, três dos primeiros carros autónomos que já rodam em condições reais de trânsito e que se integram no consórcio europeu Autocits, liderado pela Indra Sistemas SA. Portugal faz parte desta iniciativa e, à semelhança do que sucedeu na capital espanhola, os testes vão recorrer a versões adaptadas do eléctrico Mitsubishi i-Miev. Também cá, tal como lá, a bordo do carro irão seguir duas pessoas, mas nenhuma delas vai assumir o volante durante os testes.

Segundo nos revelou Pedro Serra, do Instituto Pedro Nunes (IPN), uma das muitas entidades que estão envolvidas neste estudo em território nacional (ver infobox), está previsto que os testes arranquem em Outubro, numa data ainda a fechar.

Autocits em Portugal

São parceiros deste projeto em Portugal a Universidade de Coimbra, o Instituto Pedro Nunes e a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Mas os testes também irão envolver a Brisa, A-to-Be, Universidade de Aveiro e uma série de outras empresas/entidades, como é o caso da Bosch.

Certo é que contemplarão dois tipos de percurso: em auto-estrada, num troço de 7 km da A9/CREL, ao longo da qual irão ser montados seis sistemas para a comunicação entre veículos e infra-estrutura, e também em ambiente urbano, decorrendo neste momento negociações com a Câmara Municipal de Lisboa, no sentido de definir o perímetro onde irão circular dois shuttles autónomos concebidos pelo IPN – a quem cabe, também, coordenar este projecto-piloto em Portugal.

A intenção passa por efectuar os testes nestes dois cenários distintos, em simultâneo, estando previsto que as provas se estendam durante duas semanas. Por enquanto, as previsões apontam para um total de seis veículos envolvidos – uns autónomos, outros instrumentados, ou seja, capazes de comunicar com a infra-estrutura (receber e enviar informação) ou com algum tipo de sensorização.

Os Mitsubishi autónomos, provenientes do Instituto Universitário de Investigação do Automóvel da Universidade Politécnica de Madrid, estarão dotados com um nível de automação 3 ou 4, até porque o enquadramento legal português ainda não permite a condução autónoma de nível 5 – isto é, prescindindo de alguém a bordo.

Já os veículos instrumentados serão fornecidos pela Bosch, pela Universidade de Aveiro (AtlasCar) e, ainda, pela Universidade de Coimbra.

Se for adoptado o procedimento de Madrid, os carros não poderão circular a mais de 80 km/h. Mas, ao que Observador apurou, em Portugal o limite máximo de velocidade nestes testes não está ainda definido.

Segundo nos revelou Pedro Serra, são três os objectivos deste trabalho. O primeiro “é validar a importância da comunicação para uma maior eficácia da condução autónoma, em termos de segurança e de fluidez do trânsito”. O segundo passa por “perceber que pontos da legislação, europeia e portuguesa, têm de ser alterados” para adaptar a lei à realidade dos carros sem condutor. E o terceiro consiste em elaborar “uma espécie de manual de boas práticas”, com recomendações para que seja possível “viabilizar a realização de testes em larga escala”.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt
Transportes

Mobilidade: a disrupção que aí vem /premium

Ricardo Jorge

A área da mobilidade vai assistir a uma disrupção nos próximos anos. Temos de reaproveitar os milhões de pessoas que fazem da condução a sua profissão, e que vão ser forçadas a mudar de carreira.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)