O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, vão encontrar-se a 16 de julho em Helsínquia, na Finlândia, numa cimeira onde vão discutir as relações entre os dois países e outros temas relacionados com a segurança nacional de ambos os países, anunciaram esta quinta-feira os dois países em comunicado.

A cimeira acontecerá apenas quatro dias depois de Donald Trump se reunir em Bruxelas com os chefes de Governo dos países que pertencem à NATO, um encontro que não se espera que seja pacífico, considerando as recentes decisões dos EUA e da União Europeia em matéria de relações comerciais e da posição de Donald Trump face ao financiamento da aliança.

“O presidente Donald J. Trump e o presidente Vladimir Putin da Federação Russa vão encontrar-se no dia 16 de julho, de 2018, em Helsínquia, Finlândia. Os dois líderes vão debater as relações entre os Estados Unidos e a Rússia e um leque de temas relacionados com a segurança nacional”, diz o comunicado da Casa Branca divulgado esta quinta-feira.

O principal conselheiro de Donald Trump para as questões relativas à segurança nacional, John Bolton, esteve com Vladimir Putin na Rússia esta quarta-feira, para um encontro preparatório que terá durado várias horas, segundo um porta-voz do Kremlin.

A cimeira terá um encontro a sós entre os dois líderes, um pequeno almoço e uma conferência de imprensa conjunta, para além de um evento protocolar que ainda não foi conhecido.

A relação dos Estados Unidos com a Rússia, em especial de Donald Trump com Vladimir Putin, tem estado ensombrada com as suspeitas de ingerência russa nas eleições norte-americanas — que as 17 agências de informações norte-americanas confirmaram publicamente — e pela investigação levada a cabo pelo procurador especial Robert Mueller à eventual coordenação da campanha de Donald Trump com agentes russos tendo em vista à sua eleição como presidente dos Estados Unidos, através da perturbação da campanha de Hillary Clinton.