Os incêndios devastadores que provocaram mais de 80 mortos, mais de 180 feridos e um número incalculável de desaparecidos nos arredores de Atenas, Grécia, estão também a impulsionar uma onda de solidariedade entre a população grega. O Centro Nacional de Doação de Sangue do país emitiu um pedido urgente direcionado a todos aqueles que pudessem dar sangue de forma imediata. De acordo com o Greek Reporter, nas últimas horas as filas nos centros de recolha avolumaram-se e o tempo de espera está agora a rondar as duas horas.

“Nestes tempos difíceis, todos temos de contribuir como podemos. As vítimas estão a precisar de sangue e de derivados sanguíneos numa altura de reservas reduzidas devido ao verão”, pediu o Centro Nacional de Doação de Sangue. Um doador partilhou nas redes sociais imagens das filas gigantescas que são o panorama atual dos centros de recolha. “A resposta das pessoas é comovente”, acrescentou o cidadão grego.

Mas a recolha de sangue generalizada já deu origem a uma polémica. Segundo três jornais gregos, uma equipa médica deslocou-se ao parlamento para recolher doações dos deputados e dos funcionários parlamentares: enquanto dezenas dos últimos se deslocaram ao centro de recolha, apenas um deputado decidiu doar sangue às vítimas dos incêndios. Christos Mantas, do partido do Governo Syriza, foi o único parlamentar grego que doou sangue.

Numa outra ação de solidariedade, o clube grego Olympiacos anunciou que vai doar 1 milhão de euros às vítimas dos incêndios. Além disso, o clube, que é atualmente treinado pelo português Pedro Martins e onde jogam Roderick e Podence, vai abrir três contas em três bancos diferentes (Piraeus, Ethniki e Alpha) para que os adeptos do Olympiacos ou qualquer outra pessoa possam fazer transferências solidárias.

Outro clube de futebol, o PAOK – onde atua o português Vieirinha -, também anunciou que todas as receitas do jogo desta terça-feira frente ao Basileia, para a 2.ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões, vão reverter a favor das vítimas dos incêndios. Ainda no desporto, a Federação Helénica de Ténis vai depositar 1.000 euros na conta solidária aberta pelo Estado grego e pediu a todas as federações desportivas que façam o mesmo.