Rádio Observador

Insólito

O estranho momento em que a NBC anunciou morte de McCain e voltou aos “golfinhos”

A forma como a emissora norte-americana NBC retomou a programação depois de anunciar a morte do senador John McCain foi, no mínimo, insólita. Golfinhos a namorar estão a fazer as delícias da internet.

A notícia da morte de John McCain tinha de ser anunciada aos espetadores da NBC. A programação, por aquela hora, era puro entretenimento mas o canal de televisão apressou-se a interromper a emissão para revelar a “notícia de última hora”. A emissão passou para o estúdio, onde apareceu um jornalista a dar conta da informação da morte do senador norte-americano. Alguns segundos depois, porém, a NBC retomou a programação habitual — remetendo o acompanhamento noticioso para o canal informativo da mesma estação.

O insólito aconteceu quando, em vez de um separador transitório ou de uns breves segundos de silêncio, a emissora norte-americana saltou imediatamente para o ponto onde a programação tinha sido interrompida: o programa de talentos America’s Got Talent que, naquele momento, exibia um estranho sketch com duas pessoas mascaradas de golfinhos — que reproduziam o estranho som do animal enquanto corriam pelo palco.

O timing da NBC e a insólita “história de amor dos golfinhos” — que, segundo o Independent, era uma atuação de um comediante japonês que se dedica a reproduzir sons bizarros — rapidamente saltou para o Twitter e foi alvo de piadas várias.

É o exemplo “perfeito” do “estado da nossa cultura”, ironizou um utilizador.

John McCain, o senador norte-americano e antigo candidato presidencial, morreu este sábado. Tinha 81 anos e lutava contra um cancro inoperável no cérebro desde o ano passado. Na sexta-feira, a família tinha feito saber, através de um comunicado, que McCain tinha decidido parar os tratamentos contra o tumor, muito agressivo, tendo em conta “os progressos da doença e o inexorável avanço da idade”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)