Todos os dias são milhares os turistas que passam pela ilha de Santorini, na Grécia. O turismo é um dos grandes motores da economia grega, representando cerca de um quinto do Produto Interno Bruno, mas há um cenário que persiste: a fuga aos impostos. Foi a pensar no combate a este problema que as autoridades decidiram fazer uso das novas tecnologias e utilizar drones para controlar a evasão fiscal.

O processo é simples: vários drones sobrevoaram a ilha de origem vulcânica para contar o número de passageiros que seguiam nos vários barcos que diariamente levam os turistas até lá. De seguida, chegaram os inspetores para fazer a comparação entre o número de turistas e os recibos que foram emitidos. Resultado: apenas num dia, os inspetores conseguiram perceber que as contas não batiam certo e descobriram que em nove barcos cerca de 25 mil euros que não foram declarados. A este valor acrescem as multas que serão aplicadas aos responsáveis das empresas que tentaram fugir ao fisco.

Utilizámos drones pela primeira vez numa base experimental para fiscalizar quantos turistas estavam a bordo. Os resultados foram excelentes”, referiu um representante dos serviços fiscais, citado pela Associated Press.

Face ao sucesso da experiência, a Grécia poderá passar a contar com esta nova forma de combate à evasão fiscal e alargar a outras zonas tipicamente turísticas no país.