Artur, 5 anos. Vestia um pólo azul e às costas levava uma mochila, quando se viu levado pela forte enxurrada de Sant Llorenç des Cardassar, em Maiorca, na passada terça-feira. A mãe, Joana Lliteras, farmacêutica em Manacor, ainda teve tempo de salvar Úrsula, a irmã do pequeno Artur de 7 anos, mas não a ele.

Artur viajava com a mãe num Hyundai preto. No mesmo carro iam também a avó (que se salvou pelo seu próprio pé) e o irmão mais velho (que acabou por ser retirado do carro por um turista alemão). O cadáver de Joana acabou por ser encontrado dentro do carro em Son Carrió, mas do Artur nada se sabe. As autoridades que continuam as operações de regaste encontraram já o pólo azul e a mochila do menino no canal da torrente de Sa Branca. Mas mais nada.

As buscas incessantes pelo menino continuam. Bombeiros, mergulhadores, cães especializados e Guarda Civil. No total são cerca de 900 homens que procuram por céu, mar e terra. ”Estamos a procurar, a afastar os arbustos, mas continua muito difícil. Há muitas ervas daninhas e sedimentos que foram arrastados pelas cheias”, explica um dos militares da Unidade Militar de Emergências (UE) ao El País.

A família encontrava-se em Sant Llorenç por acaso. Viviam em Manacor, onde a mãe, filha de médicos, tinha uma farmácia.

No total 12 pessoas morreram no canal de Ses Plane, que arrastou todos os carros que encontrou com pessoas no seu interior.

Muitos dos veículos continuam empilhados dentro do local, que tem apenas 10 metros de largura. Mas a prioridade agora é encontrar Artur e limpar todo o rasto de destruição.

De acordo com o jornal El Español, minutos antes do temporal a mãe de Artur contactou o marido, que estava de viagem em Londres, mas não o alarmou. Apenas lhe disse que estava num engarrafamento. Depois, tudo mudou.

Segundo o jornal El País, a família de Joana Lliteras publicou um artigo nos jornais Ultima Hora e Diario de Mallorca onde procura o ciclista que salvou Úrsula. A família pretende agradecer-lhe o gesto.