Joana Marques Vidal e o seu vice-procurador-geral da República, Adriano Cunha, vão ser homenageados pelos magistrados do Ministério Público (MP) num almoço que decorrerá no dia 27 de outubro. O encontro, que está a ser organizado pelo secretário da Procuradoria-Geral da Repúlica, Carlos Adérito Teixeira, está marcado para as 12h30 no Hotel Corinthia, situado na Avenida Columbano Bordalo Pinheiro, em Lisboa.

A divulgação está a ser feita no Sistema Informático do Ministério Público, a intranet do MP, e através das newsletter do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público. Ao que o Observador apurou, já estão inscritas mais de 200 procuradores, sendo que a origem geográfica dos magistrados que querem marcar presença abrange praticamente todos os distritos do país.

O custo de inscrição no almoço é de 40 euros — o que inclui a refeição mas também a aquisição de lembranças para Joana Marques Vidal e para Adriano Cunha.

É uma tradição da Procuradoria-Geral da República organizar um almoço de despedida do procurador-geral cessante e do seu vice. Tradição essa que não foi interrompida aquando da despedida do procurador-geral Fernando Pinto Monteiro mas que teve uma adesão diminuta — ao contrário da expetativa criada para a homenagem a Joana Marques Vidal.

Ex-presidente do STJ com cerimónia idêntica

O conselheiro Henriques Gaspar, ex-presidente do Conselho Superior da Magistratura, terá igualmente uma homenagem pelos seus pares. Será num jantar marcado para o dia 30 de outubro no Palácio de Queluz e a organização cabe ao Conselho Superior de Magistratura, o órgão de gestão e disciplinar dos juízes, e ao Supremo Tribunal de Justiça.

O conselheiro Henriques Gaspar, ex-presidente do Supremo Tribunal de Justiça

Esta será uma cerimónia mais formal. Não só tem uma Comissão de Honra de que fazem parte o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, Manuel Costa de Andrade (presidente do Tribunal Constitucional), assim como Francisca Van Dunem, ministra da Justiça.

Com um custo de inscrição de 50 euros (que inclui uma lembrança para Henriques Gaspar), a cerimónia deverá contar com a presença do primeiro-ministro António Costa, da ministra Francisca Van Dunem, assim como dos líderes dos Supremo Tribunal da Administração e dos principais tribunais do país. Marcelo Rebelo de Sousa não deverá estar presente por ter agenda em Madrid, capital de Espanha, no mesmo dia.

A organização prevê que a cerimónia seja prescenseada por cerca de 200 pessoas.