O endividamento da economia aumentou em agosto pelo segundo mês consecutivo, para os 719,217 mil milhões de euros, subindo 1,6 mil milhões de euros face a julho, impulsionado pelo endividamento do setor público, divulgou esta segunda-feira o Banco de Portugal (BdP).

“Relativamente a julho de 2018, o endividamento do setor não financeiro aumentou 1,6 mil milhões de euros, devido, sobretudo, ao acréscimo do endividamento do setor público”, refere o Banco de Portugal, acrescentando que este incremento “refletiu-se no acréscimo do financiamento concedido pelo setor financeiro, pelas próprias administrações públicas e pelo exterior”.

Do total de 719,217 mil milhões de euros de endividamento do setor não financeiro em agosto, 319,7 mil milhões de euros eram referentes ao setor público e 399,5 mil milhões de euros ao setor privado.

No setor privado houve um aumento de 0,2 mil milhões de euros do financiamento concedido pelo setor financeiro aos particulares, sendo que, relativamente às empresas, o aumento do financiamento externo (0,2 mil milhões de euros) “foi compensado pela redução do endividamento face ao setor financeiro”.

Em termos homólogos, em agosto o endividamento do setor não financeiro da economia diminuiu cerca de 5,4 mil milhões de euros (724,629 mil milhões de euros em agosto de 2017).