Quando o avião da Lion Air se despenhou, na madrugada desta segunda-feira, carregava 189 vidas a bordo, incluindo a de uma criança e de dois bebés. Também a de dois pilotos e seis tripulantes. 189 vidas que terão terminado naquele impacto — as autoridades garantem haver hipóteses reduzidas de sobreviventes.

Ainda não se conhece a identidade das vítimas mas já se sabe que, entre os tripulantes, havia quem fosse casado de fresco, quem estivesse a caminho do funeral da avó, quem estivesse a tentar engravidar in vitro ou ainda 20 funcionários das finanças que acabavam de regressar de uma viagem de negócios. Conheça as histórias.

Avião indonésio com 189 pessoas cai no mar 13 minutos após descolar de Jacarta

Os recém-casados

Além das 189 vidas que a tragédia terá levado, há muitas mais que ficaram em suspenso desde que chegaram as notícias do acidente. Uma delas é a de Murtado Kurniawan, que tinha a mulher, com quem se tinha acabado de casar, dentro do avião. Estava a caminho de uma viagem de trabalho.

“Não posso viver sem ela, amo-a”, disse em lágrimas à reportagem da BBC. “A última coisa que lhe disse foi para ter cuidado. Preocupo-me sempre com ela quando vai embora. Quando vi na televisão que o avião tinha caído, perdi as forças no corpo inteiro”, relata.

A mulher que queria engravidar

Além de Murtado, também Dede esperava notícias de um familiar próximo. A mulher explicou à reportagem da BBC que tinha deixado a sobrinha, Fiona Ayu, no aeroporto Halim Perdanakusuma, em Jacarta, para passar uns dias na terra natal. Fiona estava a tentar engravidar por fertilização in vitro e a família acreditava que lhe fariam bem uns dias de descanso fora de Jacarta.

“A transportadora continua a dizer-nos para esperar por notícias, mas as imagens nas redes sociais e na televisão são muito más”, disse a tia da vítima, que mantém a esperança. “Ainda acredito que ela vai voltar, não paro de rezar para isso acontecer”.

O casal mistério

Entre os destroços do acidente, foi encontrada uma capa de iPhone com a imagem de um casal a caminhar de costas em direção a uma ponte.

A imagem correu as redes sociais em poucas horas e alguns utilizadores alegavam ter encontrado os protagonistas daquela imagem. Mas, até ao momento, não foi confirmada a identidade do casal.

Os jovens a caminho do funeral da avó

Michelle  Vergina Bongkal falou com a mãe com a mãe por telefone às 6h00, pouco antes de o avião descolar. Pouco depois, chegaram as notícias da queda do aparelho — e o telefone não deu mais sinal de chamada. A jovem de 21 anos estava a caminho de Pangkal Pinang para estar presente no funeral da avó, que acabava de morrer. Viajava com o irmão Mathew, de 13 anos, e com o pai Adonia, de 52.

Não era comum a família escolher a Lion Air para fazer este trajeto, que percorria de forma regular, mas a urgência da viagem e a necessidade de encontrar um voo nas primeiras horas da manhã levou-os a escolher essa companhia low cost. A viagem nunca chegou ao destino e a família, que já fazia o luto pela morte da matriarca, chora agora a perda de mais três entes queridos.

Os funcionários do ministério das Finanças

A bordo seguiam também 20 funcionários do Ministério das Finanças que trabalhavam Pangkal Pinang e regressavam a Jacarta depois de terem passado o fim-de-semana em casa, com as famílias. De acordo com a BBC, eram passageiros habituais deste voo porque lhes permitia chegar a tempo aos seus escritórios à segunda-feira.

Como acontece sempre, há quem perca o voo porque se atrasou. É o caso de Sony Setiawan, que ficou preso no trânsito e viu os companheiros de trabalho morrerem no acidente. “A minha família estava em choque e a minha mãe estava a chorar, mas disse-lhes que estava a salvo. Só tenho de estar grato”, disse à agência noticiosa AFP.

O passageiro que ficou preso no trânsito e não apanhou o avião que caiu na Indonésia