A eurodeputada socialista, Ana Gomes, protestou contra o primeiro-ministro maltês, Joseph Muscat, durante a intervenção deste no Congresso do Partido Socialista Europeu, em Lisboa. Assim que Muscat começou a falar, Ana Gomes começou a gritar: “Vergonha! Vergonha! Apoias os corruptos“. De seguida, a eurodeputada gritou o nome da jornalista assassinada em Malta: “Daphne Caruana Galizia“. O líder do governo maltês continuou o discurso como se nada se passasse e ouviu aplausos várias vezes ao longo do discurso.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Ainda antes da intervenção, Ana Gomes já escrevia no Twitter que o facto de Muscat discursar no congresso dos socialistas europeis  em Lisboa, enquanto o seu Governo “mantém criminosos dos Panama Papers” e “bloqueia a justiça sobre assassinato da jornalista Daphne Caruana Galizia”, era estar a destruir a “credibilidade da família política” socialista.

Daphne foi assassinada quando investigava vários casos de corrupção relacionados com o governo maltês e depois de já ter denunciado vários casos de corrupção que envolviam o primeiro-ministro maltês, a mulher deste e vários ministros do seu executivo na sequência do caso Panama Papers.