Donald Trump

Trump pergunta a criança de 7 anos se “ainda acredita no Pai Natal”

209

Presidente dos EUA e a Primeira Dama, Melania Trump, passaram alguns momentos a atender o telefone a miúdos de todo o país que queriam fazer perguntas sobre o sistema de geolocalização do Pai Natal.

AFP/Getty Images

O Presidente dos EUA, Donald Trump, e a primeira dama, Melania Trump, passaram alguns momentos na véspera de Natal a atender o telefone a miúdos de todo o país que queriam fazer perguntas sobre o sistema de geolocalização do Pai Natal — o “Santa Tracker” desenvolvido pelo Comando Norte-Americano de Defesa Aeroespacial (NORAD). E foi durante uma dessas chamadas que Trump decidiu perguntar a uma criança de sete anos se “ainda” acreditava no Pai Natal, já que essa é uma idade em que já “não é comum” acreditar no Pai Natal, no sentido de que alguns miúdos acreditam e outros não.

Collman era o nome da criança de sete anos que conseguiu trocar umas palavras, por telefone, com o Presidente dos EUA. Depois de fazer votos para que aproveitasse “bons momentos” com a família, nesta quadra festiva, Trump atirou-lhe a pergunta: “ainda acreditas no Pai Natal? Porque, aos sete anos de idade, isso já não é comum”, disse Trump, enquanto gesticulava com uma das mãos indicando que aos sete anos tanto pode haver miúdos que acreditam no Pai Natal como outros podem não acreditar.

Os repórteres da imprensa norte-americana não conseguiram ouvir a resposta, já que esta não estava em alta-voz, mas Trump sorriu ao ouvir a resposta à sua pergunta. “Bem, querido, feliz Natal, toma cuidado contigo e diz olá à tua família, ok? Dá o meu olá a todos”, concluiu.

Numa outra chamada, também registada pela CNN, Trump já não questionou a segunda criança sobre se acreditava no Pai Natal, preferindo perguntar-lhe o que é que ele lhe iria oferecer como prenda de Natal.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt
António Costa

O desnorte do 1.º ministro /premium

Manuel Villaverde Cabral

Tão inquietante ou mais ainda, o líder do PS e os seus parceiros parecem continuar convencidos que o alegado problema do euro é a Alemanha não querer partilhar os seus ganhos com os outros países

PCP

Patrão santo, funcionário posto fora da loja /premium

José Diogo Quintela

Estou chocado. Nunca pensei que o PCP não cumprisse a lei laboral. Mas o PCP está ainda mais chocado: nunca pensou ser obrigado a cumprir a lei laboral. É que escrevê-la é uma coisa, obedecê-la outra.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)