O ex-ministro e dirigente do PSD Miguel Macedo põe um ponto final na sua carreira política. O regresso de Macedo à política ativa estava a ser hipótese levantada nos últimos dias por alguns dirigentes do partido, depois da absolvição do ex-governante no caso dos Vistos Gold, mas é o próprio quem encerra totalmente o capítulo.

“O tempo da política acabou. Já lhe dei muito tempo, talvez tempo a mais”, disse Miguel Macedo.

A declaração é feita à revista Notícias Magazine que será publicada este domingo com o Jornal de Notícias e à qual Miguel Macedo acrescenta mesmo que “a política e um capítulo encerrado”. O ex-ministro, que é advogado, diz que quer agora “recuperar a atividade profissional em pleno” e passar “mais tempo” com a “única filha, que vive longe”.

A sentença do ex-ministro foi conhecida na semana passada, tendo sido absolvido de todos os crimes de que estava acusado no âmbito do caso dos Vistos Gold e que o levaram a demitir-se do governo em novembro de 2014. Em causa estavam três crimes de prevaricação e um de tráfico de influências. António Figueiredo, ex-presidente do Instituto dos Registos e do Notariado — considerado o “cabecilha” de uma “rede” de corrupção no Estado —  foi absolvido de dois dos quatro crimes de corrupção de que estava acusado. Figueiredo foi considerado culpado de outro dois crimes: um de corrupção ativa e outro de corrupção passiva. Além destes, outros dois empresários chineses foram condenados a penas de multa entre os mais de 20 arguidos.