Há muitos condutores que morrem de amores pelos melhores superdesportivos do mercado, mas são poucos os que têm capacidade financeira para despender dois ou três milhões em troca de um destes veículos, em que a nobreza da mecânica se alia à potência, a um estilo agressivo e a acelerações impressionantes. É exactamente para ‘resolver’ esta quadratura do círculo que surgiram as cópias chinesas.

Através do Instagram, têm aparecido ultimamente propostas de superdesportivos de origem asiática, o que apesar de ser ilegal, não é propriamente uma novidade. Novidade é o facto de os modelos em causa revelarem grandes semelhanças em relação aos originais, o que implica que as empresas em causa possuam um nível tecnológico superior ao que é habitual encontrar entre as oficinas que tradicionalmente se dedicam às réplicas baratas.

Entre os modelos oferecidos estão “máquinas” como o Ferrari LaFerrari, Bugatti Chiron, Lamborghini Veneno, Pagani Zonda R e o Maserati MC12, todos eles capazes de facilmente serem confundidos com os originais. Não se sabe que mecânicas ou chassis estão por debaixo das réplicas, sendo que alguns dos fabricantes até alegam que o Lamborghini Veneno tem por base um Aventador. Mas este tipo de ‘garantia’, vindo de uma empresa que faz réplicas ilegais, vale o que vale.

Se não o fizeram já, mais cedo ou mais tarde os construtores visados deverão perseguir judicialmente estas pequenas empresas, o que não é tarefa fácil na Ásia, sendo que os carros podem ser apreendidos, o que torna estas cópias um péssimo negócio. É mais um exemplo de como algo barato pode sair caro. Mas lá que são lindos e muito parecidos aos originais, isso são…