País

Internet segura: 10 dicas de boa navegação em 2019

Navegar na internet é como andar na estrada: até o mais cauteloso dos condutores está sujeito a acidentes. Mas há formas de precaver possíveis roubos de dados, fraudes ou invasão de privacidade.

Getty Images/iStockphoto

 

Segundo um recente estudo da Google, 8,7% dos portugueses já foi vítima de fraude online. E à medida que se torna mais fácil e constante o acesso à Internet esses números terão tendência para aumentar. Mas tal como uma condução defensiva minimiza riscos na estrada, também uma navegação defensiva tem o mesmo efeito na Internet. Não é infalível, é certo, mas ajuda muito. E os princípios dessa navegação defensiva são, na sua essência, bastante simples. Tome nota:

Mantenha o software sempre atualizado

As actualizações de software visam, muitas vezes, corrigir falhas de segurança que deixam os utilizadores expostos às más intenções de terceiros. Por isso, é importante aceitar as atualizações, principalmente quando se trata dos sistemas operativos de telemóveis, tablets ou computadores.

Não facilite com as passwords

Já escrevemos um artigo inteiro sobre este assunto mas nunca é demais reforçar: é importante definir passwords diferentes para diferentes contas, de preferência que sejam complexas e difíceis de descodificar por algoritmos e hackers habilidosos. Pode avaliar a robustez das suas passwords aqui. Gestores de palavras-passe como o Last Pass ou o Dashlane são aliados importantes nesta matéria.

Não disponibilize dados pessoais

Mesmo que seja um(a) profissional liberal que usa as redes sociais para promover o seu trabalho e angariar clientes, evite expor dados pessoais como a sua morada ou número de telefone. Opte sempre por disponibilizar formulários e endereços de email como meios preferenciais de contacto.

Quer mesmo partilhar essa fotografia?

Em redes sociais como o Facebook ou o Instagram, é normal ceder à tentação de, por vezes, partilhar fotografias pessoais. Nada contra: certifique-se, porém, que só a sua rede de amigos é que pode ver o que partilha. Porque nunca se sabe quem é que está do outro lado.

De onde é que conhece esse novo amigo?

Ainda nas redes sociais, há também quem se divirta a criar perfis falsos e a engendrar esquemas que tanto podem servir para passar o tempo, apenas, como, em casos mais graves, tentar extorquir terceiros. Seja como for, não aceite todas os pedidos de amizade que lhe aparecem. Procure ver se há, pelo menos, referências ou amigos em comum.

Pagar contas? Só no seu computador

Toca o alarme e lembra-se que é dia de pagar a luz, o telefone ou a renda de casa. Mas aceder à sua conta bancária em redes públicas — como a que usa no trabalho — ou computadores partilhados não é a melhor política. Opte por fazê-lo apenas em casa, no seu computador pessoal. E atenção: siga sempre as normas de segurança recomendadas pelo seu banco.

Ative as autenticações de dois-passos

Sempre que possível, ative a autenticação de dois passos (ou dois factores) das plataformas online onde está registado(a). Isto torna muito mais difícil que alguém pirateie a sua conta, já que deixa de bastar uma password para entrar com o seu registo: passa a ser necessário, também, inserir um código numérico ou alfanumérico recebido por SMS/email ou gerado por uma aplicação externa geradora de códigos.

Ignore pedidos estranhos

Recebeu um email do seu banco a pedir-lhe para redefinir a palavra-passe? Ignore-o, não é assim que os bancos comunicam com os seus clientes. Da mesma forma, outro tipo de pedidos suspeitos via email devem ser ignorados: se é verdade que a maioria das caixas de email já está preparada para identificar mensagens de spam automaticamente, isto não invalida que os utilizadores também as saibam identificar à partida. Já agora, se quer saber o que acontece quando responde a um email de spam veja o vídeo abaixo. E ria-se.

Cuidado com o que descarrega

As formas mais comuns de apanhar vírus ou spyware é através do download de ficheiros, aparentemente confiáveis. Muito cuidado, por isso, com aquilo que descarrega, sobretudo se forem versões pirata de determinados programas, que muitas vezes são modificadas de forma a incluírem ficheiros potencialmente perigosos para o utilizador.

Atenção aos links e banners

Os famosos popups e banners que surgem em determinados sites — muitas vezes associados a conteúdos ilegais, seja transmissões desportivas ou streaming de séries e filmes — escondem, por vezes, conteúdo potencialmente perigoso para o seu computador ou tablet. Feche-os. E também não clique em links cujo destino desconhece, sobretudo se o respectivo protocolo for http em vez do mais seguro https.

No mundo offline, onde os perigos são outros, a Prosegur é o melhor aliado da sua família e/ou empresa, com soluções para todas as necessidades. Saiba mais em prosegur.pt

Saiba mais em

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Conteúdo produzido pelo Observador Lab. Para saber mais, clique aqui.
Partilhe
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: obslab@observador.pt
António Costa

O desrespeito como forma de governar /premium

André Abrantes Amaral

Costa desvaloriza os factos, desconsidera e desrespeita as pessoas porque dessa forma se desresponsabiliza. Tal é possível porque o PS estagnou, não só a economia, mas também a essência da democracia.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)