Gerard Piqué é defesa central. Em condições normais, o jogador do Barcelona não marcaria muitos golos, não seria chamado às zonas mais avançadas do terreno e não entraria no top 5 de melhores marcadores numa temporada do clube catalão. Ainda assim, e apesar de todas estas variantes, Piqué é atualmente o quinto melhor marcador do Barcelona — apenas atrás de Messi, Suárez, Dembélé e Philippe Coutinho, todos avançados –, com sete golos em todas as competições. Talvez por isso mesmo o central espanhol tenha uma celebração de golo bem treinada e que é já uma imagem de marca, um pouco à semelhança dos braços abertos de Pauleta, do salto característico de Cristiano Ronaldo e do mortal de Nani. Piqué, habituado a marcar golos apesar da posição que ocupa em campo, corre, abre as mãos e faz uma expressão sarcástica: como quem diz sim, marquei outra vez.

Foi desta forma que o central do Barcelona esteve esta quinta-feira no programa La Resistencia da televisão espanhola, de mãos e histórias abertas e sempre com expressões sarcásticas. Piqué — que oculta com o nome do meio aquela que é a maior ironia da sua existência, já que o apelido de Gerard, na verdade, é Bernabéu — atirou-se ao Real Madrid, comentou a animosidade dos adeptos do Espanyol, eternos rivais do Barcelona na Catalunha, e ainda falou sem quaisquer tabus sobre dinheiro, sexo e os políticos catalães que estão presos no seguimento do referendo à independência da região em outubro de 2017.

Piqué, que tem estado debaixo dos holofotes da comunicação social espanhola e internacional desde o início da semana, já que aceitou representar a seleção da Catalunha num particular com a Venezuela — ainda que tenha deixado a seleção espanhola depois do Mundial da Rússia –, fez uma antevisão do dérbi catalão deste sábado, em que o Barcelona recebe o Espanyol em Camp Nou. “Os adeptos deles são muito criativos. Têm umas canções…’Piqué, ca…, a Shakira tem rabo. O teu filho é do Wakaso [jogador do Espanyol]’. Metem tudo só numa frase”, comentou o defesa central, que revelou depois que o plantel do clube blaugrana mantém uma conversa de grupo no WhatsApp e tem por hábito convidar conhecidos jornalistas desportivos para o chat.

Seleção da Catalunha vai a jogo na próxima segunda-feira e Piqué e Xavi estão convocados

“Chama-se FC Barcelona e a fotografia é o emblema. Somos muito criativos, sim. Estamos lá todos juntos. A parte boa é que cria bom ambiente. Às vezes ponho lá pessoas aleatórias, como o [Tomas] Roncero, o [Alfredo] Duro, gozamos com eles e depois expulsamo-los logo do grupo. Não sei se chegam a saber que somos nós. Quer dizer, agora já vão saber”, contou o espanhol de 32 anos, que acrescentou ainda que Lionel Messi é um dos principais dinamizadores do plantel, já que tem “um humor muito irónico”.

Um dos momentos da entrevista aconteceu quando David Broncano, o apresentador do programa, perguntou diretamente a Piqué quanto dinheiro tinha. “Em património tenho mais do que o orçamento do Espanyol para este ano. Não, não são 57 milhões, é muito mais”, disse o central, cujo à vontade financeiro ficou patente há dois anos, quando fundou o Kosmos, um grupo de investimento desportivo que tem agora como principal responsabilidade a reformulação da Taça Davis de ténis. Entretanto, o jornal Marca fez uma espécie de fact check à afirmação de Piqué e concluiu que o património do jogador não é apenas superior ao orçamento do Espanyol — mas sim ao de mais de metade dos clubes da Liga espanhola.

Gerard Piqué revelou ainda que Roger Federer é “um ídolo”, que Ibrahimovic é “o homem que mais gosta de dinheiro no mundo inteiro” e que avaliaria a hipótese de regressar à seleção espanhola se Álvaro Albeloa, antigo jogador do Real Madrid e do Liverpool, também voltasse à La Roja. Para terminar a entrevista, o central do Barcelona acabou por atirar a frase que esta sexta-feira faz chamadas de capa na grande maioria dos jornais espanhóis. Quando o apresentador lhe perguntou quantas vezes tinha tido relações sexuais este mês, Piqué respondeu “as do Santiago Bernabéu contam?”, em referência às duas vitórias do Barcelona no estádio do Real Madrid em espaço de uma semana. De mãos abertas e sempre sarcástico, tal como quando marca um golo, Piqué deixa já perceber que quando terminar a carreira não será difícil arrancar-lhe os segredos do balneário do Barcelona durante os anos em que lá esteve.