“És uma vergonha, fufa de merda, mata-te”. Através de uma captura de ecrã, Isabel Moreira partilhou uma imagem de uma mensagem de Messenger enviada por Armindo Leite, membro da comissão concelhia do CDS-PP de Barcelos. No Twitter, a presidente do CDS-PP Assunção Cristas repudiou e condenou “todos os comentários deste teor”, dizendo que a mensagem “só vincula o próprio” e pediu desculpa à deputada.

Esta sexta-feira, Armindo Leite ao jornal i negou ter escrito a mensagem. “Não tenho conhecimento de nada. Não faço a mínima ideia. Eu não fiz nada. Palavra de honra”, disse ao diário. O militante centrista diz que pode ter sido um perfil falso, e que não seria a primeira vez que lhe faziam um para o prejudicar politicamente. O Observador tentou entrar em contacto com o militante, mas sem sucesso até ao momento.

”Armindos Leites há muitos. Pessoas motivadas pelo ódio, sobretudo pelo ódio, uma característica do pior reacionarismo….

Posted by Isabel Moreira on Friday, March 29, 2019

Isabel Moreira já agradeceu pelo Facebook a “reacção decente de Assunção Cristas”. A deputada independente do PS afirma ainda que espera que “este episódio” possa permitir “um debate no próprio CDS sobre o que temos que fazer para erradicar a homofobia e o ódio com base nos vários preconceitos que nos limitam enquanto sociedade”.