Um vídeo publicado na rede social Snapchat revelou um treino militar do Reino Unido em que uma foto do líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, foi utilizada como alvo de um treino de tiro. A veracidade das imagens já foi confirmada pelo Ministério da Defesa que classificou a situação como “totalmente inaceitável”.

As imagens começaram a circular pelas redes sociais até chegarem aos responsáveis militares. Ao que avança a Sky as imagens foram captadas nos últimos dias num local de treino em Kabul, capital do Afeganistão, utilizado pelos militares que estão destacados para prestar serviços de proteção de pessoal a altos funcionários militares, diplomatas e políticos.

Os militares não utilizaram munições reais no treino, que foi feito com recurso a projéteis de plástico e tinta. As imagens divulgadas mostram a fotografia de Corbyn depois de ter sido atingida e com a legenda “feliz com isso”. Segundo a Sky, as imagens de várias personalidades são utilizadas em treino, mas para simular a proteção e não como alvo.

O Ministério da Defesa disse, através de um porta-voz, estar “a par de que existe um vídeo a circular, que espelha um comportamento totalmente inaceitável e que não demonstra os elevados padrões que se esperam das forças armadas“, acrescentando que já está a decorrer uma investigação ao caso. Um porta-voz do Partido Trabalhista considerou o comportamento “alarmante e inaceitável” e reforçou a “confiança no Ministério da Defesa para investigar e agir sobre este acidente”.

Os envolvidos pertencem ao Regimento de Paraquedistas, que devem deixar o Afeganistão em breve — uma saída que já estava planeada. Atualmente, o Reino Unido tem cerca de mil militares destacados no Afeganistão, um número que tem vindo a descer ao longo dos últimos anos.