Foram identificadas mais quatro vítimas mortais do ciclone Idai, o que eleva a contagem oficial de mortos deixados por aquela catástrofe natural para 602 só em Moçambique. A notícia foi confirmada este sábado pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades, órgão do governo moçambicano.

De acordo com o jornal moçambicano O País, o INGC anunciou ainda que entre a população afetada estão 306 152 famílias — uma subida das 283 554 registadas a 4 de abril. O número de pessoas afetadas também subiu consideravelmente, dos mais de 1,4 milhões anunciados a 4 de abril para 1 514 445 pessoas, conforme anunciado pelo INGC.

Resilientes e conformados. Na Beira, os moçambicanos convencem-se de que a normalidade voltou

O número de feridos mantém-se de acordo com o último balanço, que já avançava o número de 1641.

Ainda noutro balanço, o jornal moçambicano Notícias dá conta de que o ciclone Idai de que pelo menos 2037 barcos, que vão desde embarcações artesanais a industriais, foram destruídas ou arrastadas ao longo da costa da Beira.

Reportagem. Depois do ciclone, a cólera ameaça no silêncio das ruas da Beira