Quando Julian Assange foi preso e arrastado pela polícia da embaixada equatoriana esta quinta-feira, em Londres, trazia um livro na mão. O fundador da WikiLeaks, organização que divulga informação secreta, transportava History of the National Security State (A História do Estado de Segurança Nacional), de Gore Vidal. O livro poderá ser uma forma de protesto, já que o escritor e intelectual americano ficou conhecido como um liberal progressista e crítico do “império” americano. Vidal chegou a ser candidato pelo partido democrata ao Congresso.

A capa do livro que Assange tinha na mão ao ser detido

No livro The National Security State, de 1988, Gore Vidal discute com o editor Paul Jay “os eventos históricos que levaram ao estabelecimento do complexo industrial-militar e a cultura que deu origem à ‘Presidência Imperialista'”. A expressão “complexo industrial-militar” foi usada pela primeira vez pelo Presidente Dwight Eisenhower e é utilizada para denunciar o suposto poder oculto das forças armadas e da indústria militar na política americana.

Assange esteve asilado na embaixada do Equador em Londres nos últimos sete anos, evitando assim ser detido. Esta quinta-feira, o fundador do Wikileaks foi preso — as primeiras imagens mostraram-no de barba comprida e com o livro de Gore Vidal nas mãos.

[Assange e Equador: do asilo ao azedume em 7 anos]

https://www.youtube.com/watch?v=WC2IKHk8rCs&feature=youtu.be