Rádio Observador

Música

Ativista Greta Thunberg participa na nova música da banda The 1975

O tema vai abrir o próximo álbum da banda. Receitas do disco vão financiar políticas ambientais globais. "Acho que é ótimo que os The 1975 estejam tão envolvidos na crise climática", diz Greta.

Greta Thunberg e o vocalista da banda inglesa, Matt Healy

The 1975/Twitter

A banda britânica ‘The 1975’ vai incluir no seu novo álbum palavras lidas pela ativista sueca Greta Thunberg, que reivindica a necessidade de “atuar com emergência” para travar a crise climática.

“Estamos no início de uma crise climática e ecológica e necessitamos de chamá-la pelo seu nome – uma emergência”, diz Greta Thunberg na mais recente música da banda, divulgada esta quinta-feira no Youtube.

A ativista, que se converteu numa das vozes líderes no debate sobre o clima, está “agradecida” por ter lançado um tema com a banda de Manchester pois esta é uma oportunidade de enviar uma mensagem a um novo público, de uma forma inovadora, disse Thunberg aos média britânicos.

Acho que é ótimo que os ‘The 1975’ estejam tão envolvidos na crise climática. Necessitamos urgentemente que pessoas de todas as áreas da sociedade se comprometam”, apelou Greta.

O tema vai abrir o próximo álbum da banda, ‘Notes on a Conditional Form’, cujas receitas irão reverter a favor do movimento social ‘Extinction Rebellion’, que tem como objetivo exercer influência sobre o Governo do Reino Unido e as políticas ambientais globais.

Em quatro minutos e meio, Greta Thunberg reafirma a sua posição sobre a crise climática e salienta a necessidade de “mudar as regras” que regem os sistemas atuais, porque “não há áreas cinzentas quando se trata de sobreviver”.

“A principal solução é tão simples que até uma criança pequena pode entendê-la. Temos de parar as nossas emissões de gases de efeito de estufa”, são algumas das palavras da ativista durante a melodia.

Greta Thunberg acaba a sua intervenção apelando a que as pessoas despertem, pois este “é o momento de desobediência civil. É a hora de revoltar-se”.

O empresário da banda e fundador da marca Dirty Hit, Jamie Oborne, disse que está a fazer todos os esforços para minimizar o impacto ambiental e anunciou que a sua empresa não irá produzir mais plástico de única utilização, uma decisão incluí as caixas de CD.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)