Depois da aprovação da lei que prevê aquilo que a Juventude Popular descreve como o “ensino da ideologia de género nas escolas públicas e privadas” portuguesas, Francisco Rodrigues dos Santos acusa o Governo de transformar o ensino em Portugal numa “rave privada”. A propósito da entrada em vigor do despacho que regulamenta a lei em causa, escreveu agora no Facebook que “a escola não é um acampamento de verão do Bloco de Esquerda”. O líder da JP diz mesmo que se o despacho não for suspenso vai avançar com uma ação judicial.

A Juventude Popular (JP) defende intransigentemente a liberdade no quadro da dignidade da pessoa e do respeito pela…

Posted by Francisco Rodrigues Dos Santos on Tuesday, August 20, 2019

Para Francisco Rodrigues dos Santos, o despacho do Governo é “um ataque vil à liberdade de ensino e de educação, ao direito de livre desenvolvimento da personalidade dos jovens portugueses e ao direito dos pais educarem os seus filhos” e aponta o dedo ao Bloco de Esquerda e ao PS.

Já sabíamos que o Bloco de Esquerda era pródigo em manifestações esdrúxulas e caricaturais sobre a identidade biológica. O que se desconhecia era que o PS também andasse a reboque desta agenda pseudo-moderninha. A escola não é um acampamento de verão do Bloco de Esquerda”, escreve o líder da Juventude do CDS.

O líder da JP exige a suspensão do despacho “com urgência e efeitos imediatos”, até que o Tribunal Constitucional se pronuncie sobre a lei que foi aprovada no Parlamento. Se o documento não for suspenso, avisa, a JP “intentará uma acção, via judicial, contra a aplicação das normas presentes nestes diplomas”.