Depois de participar na Cimeira da Ação Climática, em Nova Iorque, Greta Thunberg vai continuar a lutar contra as alterações climáticas do outro lado do Atlântico. Na sexta-feira, a jovem sueca viajou para Montreal, no Canadá, onde se juntou à greve estudantil a favor do ambiente. Greta foi recebida por 500 mil pessoas e já se encontrou com o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau.

“500 mil pessoas em Montreal. A mudança está a caminho!!”, escreveu no Instagram.

Greta Thunberg recebeu também a chave de Montreal da mayor Valérie Plante.

Entre encontros formais, a jovem tem partilhado imagens de “férias”, com a paisagem do Quebec a servir de fundo. Nesta publicação do Instagram, Greta Thunberg adianta que vai agora “viajar lentamente” pelo continente norte-americano. “Vou parando pelo caminho e vou visitar o maior número possível de sítios. E, claro, vou protestar todas as sextas-feiras onde quer que esteja”, garantiu.

Em dezembro, Greta poderá marcar presença numa cimeira no Chile. E o México poderá também ser um ponto de passagem, numa viagem onde autocarros e comboios serão os meios de transporte eleitos. Mas como vai a ambientalista de 16 anos regressar à Europa? Em agosto, a própria confessou que ainda não sabe.

A viagem para a Nova Iorque e a resposta a Trump no Twitter

Greta recusou viajar para Nova Iorque de avião devido às emissões poluentes e optou pelo Malizia II, um veleiro ecológico alimentado a energia solar e geradores de eletricidade. A viagem durou 15 dias e a logística acabou por envolver aviões — dois membros da tripulação voaram até aos Estados Unidos para depois levarem o barco de regresso a casa. Por este motivo, Greta Thunberg está a ser criticada uma vez que a pegada ecológica da jovem pode ser ainda maior do que se viajasse de avião.

Em Nova Iorque, a sueca fez um discurso emocionado na cimeira sobre o clima e acusou os políticos internacionais de lhe “roubarem a infância”. “Está tudo errado. Não deveria estar aqui. Devia estar de regresso à escola do outro lado do oceano. Mas todos me procuram em busca de esperança. Como se atrevem? Vocês roubaram os meus sonhos e a minha infância com palavras vazias”, disse em lágrimas.

Depois destas declarações, Donald Trump ironizou e escreve no Twitter: “Ela parece uma jovem muito feliz que está perante um futuro brilhante e espetacular. Tão bom ver algo assim!”. Mas Greta não deixou o Presidente norte-americano sem resposta e alterou a sua biografia do Twitter para, precisamente, “uma rapariga muito feliz que está perante um futuro brilhante e espetacular”. Naquele espaço lia-se antes “ativista climática de 16 anos com Asperger”. A biografia já foi, entretanto, novamente alterada para a descrição antiga.